A necessidade da inserção das PMEs da região na cadeia do polo naval

    A Odebrecht Energia informou hoje que recebeu a licença prévia da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) para a construção da linha de transmissão que ligará o complexo eólico Corredor do Senandes (RS) ao sistema elétrico brasileiro. A linha terá 48 km de extensão e vai conectar o empreendimento a uma subestação da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE).
    Em nenhum momento tantas grandes empresas estiveram operando, investindo ou instalando negócios na região sul do Rio Grande do Sul. Este investimento da Odebrecht Energia, braço de um dos maiores conglomerados do país, soma-se a vários outros que estão em curso no momento.

    No que convencionou-se chamar de “Polo Naval”, a Engevix construiu um estaleiro de grande porte, arrendado por dez anos para a Petrobras e, em outro ponto do canal de acesso ao Porto de Rio Grande, a QUIP (Queiroz Galvão, IESA, UTC Engenharia e Camargo Corrêa) converte navios em plataformas de exploração de petróleo.

    A duplicação da BR-392 entre Pelotas e Rio Grande é executada, nos 2 lotes em obras, pelas construtoras Triunfo e Ivaí. Para alimentar o consumo de todo este contingente populacional, 2 shopping centers estão em construção no município de Rio Grande: um da 5R, que apresenta como sócios membros da família Rossi; o outro liderado por Iboty Ioschpe, presidente do Conselho de Administração do Grupo Ioschpe-Maxion.

    Fico contente, mas não costumo me render ao ufanismo exagerado que tem tomado conta de alguns setores da região. Espero que, somado aos investimentos vindo de grandes empresas do centro do país ou da capital do Estado, cada vez mais empresas locais criem modelos de negócios sólidos e que gerem emprego e renda na região, fornecendo para estes grandes projetos, como já fazem, por exemplo, Usimec (Pelotas) e Profab Engenharia (Rio Grande).

    Marcelo Nogueira é graduado em Engenharia pela Universidade Federal de Pelotas e acadêmico de Administração pela mesma Universidade. Participa do Blog Caminhos da Zona Sul. Para ler mais da seção “Opinião”, clique aqui.




    Comentários