Duplicação da BR-116 – mais algumas informações

      Todas as informações sobre as obras do Contorno de Pelotas (clique aqui) e da duplicação da BR-116 entre Guaíba e Pelotas (clique aqui).
      Lote 01 = empresa Constran – 24,46 km – Do km 300,54 ao km 325,00;
      Lote 02 = empresa Constran – 26,34 km – Do km 325,00 ao km 351,34;
      Lote 03 = empresa Ivaí – 21,88 km – Do km 351,34 ao km 373,22;
      Lote 04 = Consórcio Pelotense e CC – 23,98 km – Do km 373,22 ao km 397,20;
      Lote 05 = consórcio Brasília Guaíba e Ribas – 25,12 km – Do km 397,20 ao km 422,30;
      Lote 06 = consórcio Pelotense e CC – 26,20 km – Do km 422,30 ao km 448,50;
      Lote 07 = empresa Sultepa – 21,60 km – Do km 448,50 ao km 470,10;
      Lote 08 = empresa SBS – 18,90 km – Do km 470,10 ao km 489,00;
      Lote 09 = consórcio Mac e Tardelli – 22,76 km – Do km 489,00 ao km 511,76.
      Acesso a Arroio do Padre: Atualmente não há dispositivos para estruturar o fluxo. Com a duplicação, será construído um viaduto sobre a rodovia.
      Travessia urbana de Turuçu: Hoje não existe qualquer dispositivo para organizar o trânsito. Com a obra, haverá um viaduto e ruas laterais no trecho.
      Acesso a São Lourenço do Sul: O acesso é feito por meio da RS-265. Há um conglomerado urbano às margens da BR-116. Serão construídos um viaduto e ruas laterais para separar o trânsito de longo curso do tráfego local. Também serão construídos retornos para as ruas laterais. Atualmente, há no trecho uma rotatória simples. (imagem abaixo)

      Travessia Urbana de Coqueiros: no local, serão construídas ruas laterais e dois retornos para permitir o acesso à cidade. Hoje não há dispositivos para facilitar a travessia para Coqueiros.

      Travessia urbana de Cristal: Cristal é cortada pela BR-116. A ligação entre os bairros se dará por meio de um viaduto. Também serão criadas ruas laterais para atender à cidade. Outra modificação é a transposição dos lados da rodovia com passagem inferior, que possibilitará o retorno às ruas laterais e travessia entre os lados da BR. Hoje não há dispositivos para regular o trânsito no local..

      Travessia urbana de Camaquã: a cidade fica às margens da rodovia, à direita de quem vai no sentido Guaíba-Pelotas. Serão construídas ruas laterais que darão acesso ao distrito industrial localizado pouco antes do acesso principal à cidade. Também haverá duas passarelas para pedestres. Hoje o trecho não conta com dispositivos para estruturar o fluxo de veículos. No acesso principal a Camaquã, será construído um viaduto. No segundo acesso à cidade, a obra prevê uma rotatória alongada onde hoje há uma rotatória simples. 

      Travessia Urbana de Camaquã (Bairro São Carlos): além de ser um distrito industrial, também tem áreas residenciais. Hoje a travessia é feita sem a ajuda de qualquer dispositivo que organize o fluxo. Com a obra, haverá ruas laterais e dois retornos operacionais para permitir movimentos de conversão para acesso ao bairro.

      Acesso secundário a Arambaré: o acesso principal à cidade é feito por Camaquã. Com a obra, o segundo acesso próximo à ponte sobre o Arroio Velhaco terá dois retornos operacionais que funcionam como uma rotatória alongada. Hoje não há dispositivos para estruturar o tráfego no local.

      Acesso a Tapes e Sentinela do Sul: além de ser um aglomerado urbano, tem entroncamento com a RS-715 e RS-717. Por um lado da BR-116, o motorista acessa Sentinela do Sul; pelo outro, Tapes. Atualmente há uma rotatória simples no local. Com a duplicação, será construído um viaduto transversal.

       

      Sertão Santana: o acesso à Mariana Pimentel é feito por meio da RS-713. O comércio no local será preservado. Serão construídas ruas laterais. A rotatória simples que hoje existe no trecho será alongada para direcionar o fluxo da região.
      Mariana Pimentel: o acesso à Mariana Pimentel é feito por meio da RS-711. Não há qualquer dispositivo que organize o fluxo no trecho. O projeto prevê uma rotatória alongada e ruas laterais para facilitar o acesso à cidade.

      Barra do Ribeiro: o acesso à cidade é feito pela RS-709. Há aglomerados urbanos nos dois lados da BR-116. Com a obra, o trecho terá um trevo com viaduto e ruas laterais. O projeto prevê também dois retornos para permitir a entrada e a saída pelas ruas laterais.

      Pedras Brancas: Atualmente, há uma rotatória no local, que será alongada com a duplicação. Também serão construídas ruas laterais para dar acesso ao bairro, que pertence à cidade de Guaíba.

      Guaíba: hoje há um viaduto no acesso principal à cidade. Com a duplicação, será construído outro viaduto depois do trevo principal para facilitar o acesso ao Bairro Columbia City.

      Posts relacionados
      * Ministro Paulo Sérgio Passos assina segunda ordens de serviço para duplicação da BR-116 e Contorno de Pelotas
      * Ibama concede licença de instalação para início das obras do Contorno de Pelotas
      * Reunião prepara início das obras de duplicação da BR-116 entre Guaíba e Pelotas
      * Ibama autoriza DNIT a iniciar obras de duplicação na BR-116 no Rio Grande do Sul
      * Detalhes sobre o “Contorno de Pelotas”
      * Dnit tenta destravar duplicação da BR-116 entre Guaíba e Pelotas
      * Segue a novela: Funai está embargando obras da BR-116

       ________________________________________________________  
      Curta o Blog no Facebook
      Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




      Comentários