ACPO completa uma década no mercado

    Há dez anos no mercado, o Grupo ACPO iniciou suas atividades em agosto de 2002, com a indústria de pré-moldados de concreto em Pedro Osório, podendo, hoje, ser considerado uma referência na Zona Sul, quando se trata de tecnologia de ponta, explica o gerente comercial Leandro Sabbado. Além de selo de certificação da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), o Grupo também tem o Nível A do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade na Habitação (PBQP-H) e a ISO 9001 obtido pela Construtora ACPO, criada há cinco anos. Também faz parte do Grupo a ACPO Mineração, com extração de areia em Cerrito, licenciada pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). Para comemorar a data, serão lançados um selo ainda neste mês e uma revista com toda a história do Grupo em outubro.

    Unidades previstas


    Com sede em Pelotas, a Construtora ACPO executa projetos de 1.666 unidades habitacionais simultaneamente, com obras em Pelotas, Rio Grande, São Gabriel e Candiota, onde é a única empresa a atuar nesse mercado, com a construção das primeiras 200 moradias populares. “A empresa tem estrutura técnica operacional e financeira para isso”, ressaltou Sabbado, lembrando que, caso contrário, não teria esses projetos contratados pela Caixa Econômica Federal. Em fase de elaboração de projetos, mais 500 unidades estão previstas para Pelotas. No Laranjal, dois condomínios fechados devem ser lançados até o final deste ano e lá, a ACPO é responsável pela execução do projeto de revitalização da orla.  
      
    Hoje, a construtora mantém 17 canteiros de obras simultâneos, que incluem pavimentação no Morro Redondo e infraestrutura em Pedro Osório, além de construções industriais, como a executada para a Dagoberto Barcelos, em Caçapava do Sul. São gerados 400 empregos diretos, quando consideradas as três frentes de atuação do Grupo. A indústria de pré-moldados de concreto, com rigoroso controle computadorizado, atende à grande demanda gerada pelo polo naval de Rio Grande, com clientes como Petrobras, Quip e Engevix. Com frota própria para transportar a produção, já é estudada proposta de exportação para o Uruguai. Em funcionamento há dois anos, a mineradora é responsável pela extração da areia utilizada na indústria de pré-moldados e também nas obras da construtora e ainda para atender a clientes de grande porte.
    Fonte: Maria da Graça Marques – Jornal Diário Popular 
    ________________________________________________________  
    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   



    Comentários