Fibria confirma venda de terras na região

    A Fibria confirma a venda de 100 mil hectares de áreas próprias da Zona Sul do Estado. Escrevi sobre este assunto no meu trabalho de conclusão de curso e falei sobre o assunto aqui no Blog (artigo aqui). Uma das possibilidades ventiladas era essa, a venda dos ativos florestais para a CMPC (Celulose Rio Grandense), cuja fábrica é localizada em Guaíba/RS. Segue fato relevante recebido há pouco.
    FATO RELEVANTE

    Em cumprimento ao disposto no artigo 157, § 4º, da Lei nº 6.404/76, conforme alterada, e na Instrução CVM nº 358/2002, conforme alterada, FIBRIA CELULOSE S.A. (BM&FBOVESPA: FIBR3 | NYSE: FBR) (“FIBRIA” ou “Companhia”) informa que recebeu e aceitou de CMPC Celulose Riograndense S.A. (“CMPC”) oferta vinculante por ativos florestais e terras, localizados no estado do Rio Grande do Sul (“Losango”), perfazendo aproximadamente 100 mil hectares de áreas próprias e aproximadamente 39 mil hectares de eucaliptos plantados nessas áreas próprias e em áreas arrendadas de terceiros, pelo valor total de R$ 615.000.000,00 (seiscentos e quinze milhões de reais) a ser pago em dinheiro, em três parcelas distintas:
    R$ 488.000.000,00 (quatrocentos e oitenta e oito milhões de reais) quando da aprovação da operação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (“CADE”)
     R$ 122.000.000,00 (cento e vinte e dois milhões de reais) a serem depositados quando da aprovação do CADE, em conta caução a ser aberta em banco de primeira linha (escrow account) que deverá ser liberada após as demais aprovações governamentais aplicáveis e outras condições precedentes;
     R$ 5.000.000 (cinco milhões de reais) na efetiva transferência de contratos existentes relacionados ao ativo e aprovações governamentais aplicáveis.

    O montante total do preço poderá sofrer ajustes aplicáveis em operações desta natureza, após a conclusão de due-diligence confirmatória.

    A Companhia informa também que a referida transação não contempla os contratos de fomento desenvolvidos nas áreas de Losango, contratos esses que serão mantidos e honrados pela FIBRIA. A Companhia analisa oportunidades para o uso dos volumes de madeira advindos desses contratos de fomento.

    São Paulo, 10 de Setembro de 2012.

    FIBRIA CELULOSE S.A.
    GUILHERME PERBOYRE CAVALCANTI
    DIRETOR FINANCEIRO E DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES

    Atualizado às 13 horas: Segundo informações do repórter Jefferson Klein, do Jornal do Comércio, o viveiro da Fibria localizado no Capão do Leão também entra na transação. Em resposta a questionamentos sobre a transação, a Fibria esclareceu por e-mail que “está transferindo o viveiro de Capão do Leão e contratos de arrendamento de 2,4 mil hectares de área bruta e 1,4 mil hectares de área plantada. Além dos contratos de fomento, foram mantidas algumas áreas com vocação de agricultura que atualmente não possuem qualquer plantio de eucalipto”. Em relação a planos de investimentos no Rio Grande do Sul, a empresa explica que continuará operando no Estado “por meio dos contratos com fomentados.” 

    ________________________________________________________
    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)




    Comentários