Proposta licitatória do Oceantec é apresentada

    Apenas uma empresa participou do processo licitatório aberto pela Universidade Federal de Rio Grande (Furg) para a construção civil do Parque Tecnológico do Mar (Oceantec). Única a apresentar proposta para o empreendimento, orçado em torno de R$ 4,5 milhões, a 5S Arquitetura e Design, de Porto Alegre, deverá aguardar até sexta-feira (5) a decisão da Comissão de Licitação que irá analisar o conteúdo do plano entregue na tarde desta quarta.

    De acordo com o chefe da Divisão de Compras da Furg, Rodrigo da Silveira Cardoso, na ocasião que contou com a presença também de membros da Diretoria de Obras da universidade, a empresa já havia sido considerada habilitada na primeira fase da concorrência, cumprindo todos os requisitos documentais. Mesmo assim, foi decidido que o planejamento entregue deveria ser analisado mais detalhadamente. Por isso, o conteúdo dos envelopes foi apenas rubricado e o resultado será conhecido na sexta, quando a deliberação deve ser publicada no Diário Oficial.

    Segundo o vice-reitor e gestor do Parque, Ernesto Luiz Casares Pinto, a ideia do empreendimento, que pretende garantir a sustentabilidade da produção naval e offshore, surge como um projeto estratégico que atingirá toda a região. Direcionado a fornecer o suporte tecnológico à cadeia oceânica em desenvolvimento em Rio Grande, o Oceantec deve se destacar como um importante laboratório. A meta é possibilitar que o conhecimento da universidade implique diretamente na geração de renda e fortalecimento do setor através da elevação da competitividade. “Queremos garantir a fixação desses investimentos, agregando o valor tecnológico”, afirma o gestor.

    O Oceantec
    Criado no Conselho Universitário e oficializado pela Furg no ano passado, o projeto busca se tornar um espaço de interlocução competitiva e sustentável ao mesmo tempo. O local de pesquisa que deve funcionar com base na tríplice hélice – união do governo do Estado, município e universidade – já possui credenciamento junto ao Programa Gaúcho de Parques Tecnológicos (PGPT). A previsão é de que dois anos sejam necessários para a execução do complexo, que ocupará um terreno de cinco hectares e terá 1.096 metros quadrados dentro do Campus Carreiros. A iniciativa conta ainda com o apoio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado.

    Fonte: Andressa Barbosa – Jornal Diário Popular
    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook 

    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários