Rodada Setorial do Sebrae atraiu fornecedores e compradores

    Foi realizada, durante toda a manhã da última quinta, 25, na Câmara de Comércio de Rio Grande, a 1ª Rodada Setorial do Sebrae. O evento oportunizou a 16 pequenas e micro empresas (MPEs) apresentar produtos e serviços para 10 grandes empresas integrantes da Rede de Suprimentos do Rio Grande. A Rodada Setorial, realizada nos mesmo moldes das já tradicionais Rodadas de Negócio do Sebrae, faz parte do Programa de Adensamento da Cadeia Produtiva do Petróleo, Gás e Energia do Rio Grande do Sul, desenvolvido pelo Sebrae/RS. O objetivo é qualificar e inserir as MPEs da região Sul nesses setores.
    A Rede de Suprimento, conforme explicou a gerente da regional sul do Sebrae, Rosani Ribeiro, surgiu a partir de uma ação entre Sebrae e Prefeitura do Rio Grande durante a 1ª Feira do Polo Naval, que acabou agregando outras empresas. Hoje é formada pela Petrobras Polo Naval, Ecovix, Prefeitura Municipal, Yara Brasil, Granel Química, Refinaria Riograndense, Tecon, Quip e Superintendência do Porto do Rio Grande – SUPRG.
    Os produtos a ser negociados na Rodada Setorial de ontem, foram definidos a partir de uma pesquisa do Sebrae, que identificou junto a Rede de Suprimentos, quais os principais produtos de interesse das grandes empresas. A partir daí ficou decidido que cinco famílias de produtos seriam negociadas na ocasião, que são uniformes e equipamentos de proteção industrial, material elétrico, material de construção, produtos de higiene e limpeza, materiais de escritório e produtos de ferragem e peças mecânicas.
    Ao todo foram realizadas 192 reuniões, com cerca de 10 minutos cada uma, entre compradores e fornecedores. Ao todo, 16 fornecedores e 10 compradores participaram do evento. Entre os fornecedores estava o proprietário de uma malharia de Pelotas, Pedro Hernandez, que saiu do evento satisfeito com o resultado das negociações. Ele informou que participa das Rodadas de Negócio do Sebrae em Rio Grande desde 2009, e que na sua primeira participação não conseguiu fechar negócio, já, a partir do ano seguinte, conseguiu negociar. “A rodada no início realmente não trouxe uma grande ênfase na clientela, a nossa demanda estava sempre fechada, serviu mais para conhecer clientes futuros. Mas daí para frente as rodadas começaram a surtir efeitos muito bons. O nosso crescimento depois que expandimos nossa atuação no Polo Naval melhorou muito. Hoje (na Rodada Setorial) conseguimos dar continuidade nas negociações com um cliente que já tínhamos”, afirmou, satisfeito, o comerciante.
    A primeira Rodada de Negócios do Sebrae aconteceu em Rio Grande no ano de 2008. De lá para cá, ocorreram seis edições do evento, além da Rodada Setorial. A gerente da regional sul do Sebrae, Rosani Ribeiro, disse que percebe uma melhor desenvoltura das pequenas empresas que retornam ao evento. Nas primeiras edições, segundo ela, era comum perceber um certo receio das MPEs em negociar com as grandes empresas, hoje, já mais experientes, as negociações têm surtido efeitos muito bons, tanto para as MPEs que aumento o lucro como para as compradoras que podem comprar por menos.
    Outro diferencial da Rodada Setorial foi a participação de dois bancos, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal que realizaram rodadas de crédito “uma vez que as MPEs, muitas vezes, precisam de investimentos, seja em obras de infraestrutura, equipamento e matéria-prima, bem como capital de giro para acelerar o fornecimento às grandes empresas e cumprir os prazos contratuais”, citou Rosani. Ela também informou que, o sucesso do evento é tão evidente que já está prevista, para 22 de novembro, uma nova Rodada Setorial, no mesmo local.  
    Fonte: Jornal Agora

    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook 

    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários