Duplicação da BR-116 avança em 40 kms da rodovia

    Principal via de acesso da região metropolitana ao sul do Estado, por onde transitam 10 mil veículos por dia, a BR-116/RS está sendo duplicada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) entre as cidades de Guaíba e Pelotas. Orçada em quase R$ 900 milhões, a melhoria na estrada é aguardada por tratar-se do mais importante acesso ao Porto do Rio Grande.
    Dos 211 quilômetros beneficiados pela obra, dividida em nove lotes, estima-se que 40 quilômetros – pouco menos de 20% do total – já recebem a interferência de serviços como limpeza de terreno, topografia e terraplenagem. Paralelamente, a STE – Serviços Técnicos de Engenharia S.A., responsável pela Gestão Ambiental do empreendimento, atua no desenvolvimento dos programas ambientais, iniciando com as campanhas de monitoramento da fauna, flora e recursos hídricos.
    Engenheiro do Dnit, Hiratan Pinheiro da Silva adianta que nos próximos dias devem começar os trabalhos nos lotes 2 e 3, que ficam entre os quilômetros 325 e 373. Autorizadas pela Fundação Nacional do Índio (Funai), as obras já foram também ratificadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O trecho inclui acessos a Barra do Ribeiro, Araçá, Cerro Grande do Sul e Tapes. Nesta última, um viaduto transversal será erguido na altura do quilômetro 363 para entrada e saída do balneário.
    A duplicação segue mais avançada entre os lotes 5 e 9, situados entre Camaquã e Pelotas, onde as máquinas trabalham desde outubro. Nestes locais as concessionárias já estão na etapa de terraplenagem, que antecede o início das ações de pavimentação.
    Quase toda a duplicação ocorrerá ao leste da rodovia, ou seja, à esquerda de quem trafega no sentido capital-interior. Haverá, no entanto, alterações pontuais de lado para não interferir em determinadas áreas urbanas. Um exemplo é o município de Cristal, onde a pista passará pela direita. “Houve a mudança para não atingir parte da cidade, que tem uma pedreira”, observa o engenheiro Hiratan.
    Outra intervenção pensada para facilitar o acesso dos moradores – pedestres e tráfego interno – é a inclusão de ruas laterais em trechos urbanos, a exemplo do que já acontece em outros pontos da BR-116 ao longo do Estado. Por enquanto, nenhuma obra de arte (pontes e viadutos) teve sua execução iniciada.

    A obra
    Total: 211 km entre Guaíba e Pelotas
    Orçamento: cerca de R$ 900 milhões
    Municípios: Guaíba, Barra do Ribeiro, Mariana Pimentel, Sentinela do Sul, Tapes, Arambaré, Camaquã, Cristal, São Lourenço, Turuçu e Pelotas
    Lote 01 = km 300,54 ao km 325,00 – Construtora Constran
    Lote 02 = km 325,00 ao km 351,34 – Construtora Constran
    Lote 03 = km 351,34 ao km 373,22 – Construtora Ivaí
    Lote 04 = km 373,22 ao km 397,20 – Construtora Trier
    Lote 05 = km 397,20 ao km 422,30 – Consórcio Brasília Guaíba – Ribas
    Lote 06 = km 422,30 ao km 448,50 – Consórcio Pelotense – CC
    Lote 07 = km 448,50 ao km 470,10 – Construtora Sultepa
    Lote 08 = km 470,10 ao km 489,00 – Construtora SBS
    Lote 09 = km 489,00 ao km 511,76 – Consórcio MAC – Tardelli 


    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook 

    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários