Lançado o Eixo Sul – Complexo Logístico Empresarial, em Pelotas

    O post a seguir faz parte da série “Pelotas que dá certo”, que visa trazer informações tanto de empresas sediadas em Pelotas quanto de pessoas nascidas na cidade e que, apesar dos problemas econômicos que a região vivenciou nas últimas décadas, alcançaram sucesso. Para ler todos os posts sobre o assunto, clique aqui.

    Foi lançada no final da manhã desta terça-feira (21) a pedra fundamental de um novo empreendimento inserido na proposta de desenvolvimento econômico da região. É o Eixo Sul – Complexo Logístico Empresarial, que ocupará uma área total de 104 hectares junto à BR-116, localizada entre a planta industrial do Joaquim Oliveira S/A Participação (Josapar) e a estrada que leva para o Monte Bonito, em Pelotas, explica o arquiteto Marcelo Moreira, sócio do empreendimento com o empresário Ricardo Lorenzet. A partir do investimento inicial de R$ 25 milhões, a projeção é de aplicação de R$ 8 milhões a R$ 10 milhões a mais na segunda das três fases estabelecidas para a consolidação do empreendimento.

    O complexo empresarial, que será oficialmente apresentado no Salão Nobre da prefeitura às 18h também desta terça, em solenidade da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sdet), está dividido em duas fases de implantação: a primeira, com 12 lotes de 21 mil metros quadrados, de frente para a BR-116 e a segunda, de 51 lotes de 2,1 mil metros quadrados. Uma terceira etapa já está prevista, mas com a proposta de um condomínio logístico, cujo lançamento será feito apenas após a implantação das duas fases anteriores. As duas primeiras etapas são em área aberta, explica Moreira.

    A comercialização dos primeiros lotes já começou e é feita pela RCS Empreendimentos e Participações, que também selecionará o mix de empresas para ocupar a área. Um empreendedor da região já garantiu seu lote nessa primeira fase. Embora seu nome ainda seja mantido em sigilo, seu ramo de atuação é a fabricação de implementos agrícolas e a preferência pelo Eixo Sul, perante outras áreas oferecidas na região, foi motivada pela localização estratégica, com acesso facilitado tanto ao Porto de Rio Grande como ao centro do país – do Aeroporto, são apenas cinco minutos, lembra Moreira.
    “Com esse formato, não há outro na região”, diz o empreendedor. A área é planta, caracterizada pelo Plano Diretor como industrial. A localização foi escolhida justamente para não se misturar com zonas residenciais, preservando as características de um empreendimento destinado a indústria, comércio e logística. “Trabalhamos com um empreendimento para trazer receita para Pelotas”, explica o arquiteto. É um investimento privado, mas que busca atender os interesses do município. Do Executivo, os empreendedores esperam receber apoio através da agilidade na tramitação dos projetos dos clientes, segundo Moreira.
    Nome

    Com a escolha de Eixo Sul para a denominação do empreendimento, os sócios quiseram reforçar o interesse pelo desenvolvimento da região, identificados com o impacto que empresas de fora podem trazer, agregando maior valor à proposta. Com a construção de duas elevadas dentro do projeto de duplicação da BR-116, uma junto à Vila Princesa e outra na avenida Fernando Osório, e as consequentes vias paralelas, os acessos serão facilitados, indica Moreira.
    Fonte: Maria da Graça Marques – Jornal Diário Popular

    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook 

    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários