Prefeito de Pelotas visita planta industrial da Lifemed

    O post a seguir faz parte da série “Pelotas que dá certo”, que visa trazer informações tanto de empresas sediadas em Pelotas quanto de pessoas nascidas na cidade e que, apesar dos problemas econômicos que a região vivenciou nas últimas décadas, alcançaram sucesso. Para ler todos os posts sobre o assunto, clique aqui.

    O prefeito Eduardo Leite e a vice Paula Mascarenhas, acompanhados por uma equipe de gestores da prefeitura de Pelotas, estiveram, no final da tarde do dia 27, visitando as instalações da matriz da Lifemed no Município, no Distrito Industrial. 

    Eduardo ficou impressionado com o nível de organização e com o crescimento da empresa da área médico-hospitalar, que se instalou no Município há 15 anos, na época com menos de cem funcionários, e hoje possui um quadro com mais de 600. 

    Os gestores da prefeitura foram conduzidos pela equipe diretiva da empresa a cada uma das etapas de fabricação da linha de eletromédicos e linha geral da Lifemed, que funcionam em uma área construída de 18 mil metros quadrados, localizada à rua Giusepp Mattea, 350. Conheceram desde o almoxarifado em que ficam estocadas as matérias-primas, às linhas de produção e expedição, até o depósito em que ficam armazenados os produtos prontos para a venda.

    “Somente em 2012 fizemos um investimento de R$ 13 milhões em equipe e produtos. Nossa previsão é alcançar os R$ 15 milhões este ano. Pelotas é o segundo polo do Estado, logo atrás de Porto Alegre, nossa expectativa é que a Lifemed de Pelotas assuma a liderança em até dois anos”, anunciou o diretor-presidente da empresa, Franco Maria Giuseppe Pallamolla.

    Além do carro-chefe da empresa, que é a produção de equipos, a Lifemed não só fabrica a linha de eletromédicos como também cria produtos novos, com tecnologia avançada. Em uma parceria com a Rede Cegonha do Ministério da Saúde (MS), a Lifemed vai produzir equipamentos que farão a leitura do kit de reagentes biológicos que será fabricado pela FioCruz, para a testagem de diversas doenças. Presente na visita, a secretária de Saúde Arita Bergmann solicitou que a segunda plataforma de testes seja feita em Pelotas, com as usuárias do programa Mãe Pelotense. Pallamolla acolheu o pedido da secretária e disse que levará a proposta adiante.

    A secretária se entusiasmou ao tomar conhecimento sobre a fabricação de um outro equipamento, desenvolvido pela Lifemed, destinado ao Monitoramento Remoto de Pacientes – tanto acamados quanto crônicos -, por meio de sensores, e também do Desfibrilador Bifásico, lançado pela empresa na semana passada, em parceria com a PUCRS. “Podíamos colocar em teste no nosso Samu”, disparou a gestora municipal. Pallamolla e Arita ficarão em contato, a partir de agora, para aprofundar essas e outras possibilidades.

    O diretor-presidente da Lifemed também foi convidado, pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sdet) Fernando Estima, a colaborar na elaboração da nova configuração do Parque Tecnológico. “Pelotas tem vocação e capacidade para expandir na área tecnológica. Vamos dar continuidade ao projeto que já estava assegurado, mas acreditamos que podemos ir muito além e estamos estudando para isso”, disse o prefeito. “A cidade já é um polo tecnológico, precisa é começar a se comportar como tal”, acrescentou Estima.

    Eduardo destacou a necessidade de que se aproveite o conhecimento gerado no Município, recordando que as universidades pelotenses e o IFSul formam excelentes profissionais mas a grande maioria ainda acaba por deixar a cidade, por falta de ofertas de trabalho. Pallamolla mencionou vários casos recentes de pelotenses que foram “repatriados” a Pelotas porque encontraram na Lifemed uma oportunidade profissional. Ele apontou, contudo, que, apesar de Pelotas ter uma boa produção de conhecimento e uma boa estrutura em empresas de software, é preciso melhorar a conexão da cidade com o mundo e sugeriu que se busque uma solução conjunta para enfrentar essa dificuldade. “Hoje em dia a conexão é muito importante. Nosso crescimento depende também da qualidade desta conexão, que precisa melhorar”, apontou.  

    Coordenador de materiais da empresa, Rodrigo Martirena está na Lifemed desde que abriu a sucursal pelotense e diz que a rotatividade de pessoal é muito grande. Com frequência a empresa precisa de profissionais para trabalhar nas linhas de produção, montagem de eletromédicos, técnicos em eletrônica e diversos outros cargos. “No momento, estamos precisando de pessoas com experiência em costura industrial”, alertou.

    Além da matriz, no Distrito Industrial, a Lifemed também tem um prédio com seis mil metros quadrados de área construída, na avenida Salgado Filho, destinado à fabricação de paramentação cirúrgica – campos de pacientes de mesa, aventais e kits cirúrgicos.

    Acompanharam a visita do prefeito, pela Lifemed, o gerente operacional da Lifemed Eduardo Seronni, o gerente de engenharia Flávio Merch e o diretor administrativo Elói Tramontin. Pela prefeitura, também estiveram o secretário de Gestão Administrativa e Financeira (Sgaf) Francisco Cruz, a superintendente de Gestão Hospitalar e Ambulatorial/SMS Beatriz Sedrez Garcia e Rosângela Soares, da Regulação de Leitos Pediátricos/SMS.   ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook 

    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários