Soja exportada por contêineres tem redução de custos e de tempo

    Na primeira semana do mês, o Estado retomou a exportação de grãos por contêineres, consolidando o envio de cerca de 1,3 mil toneladas de soja, distribuídas em 56 contêineres. Em comparação com a capacidade de um graneleiro, que consegue levar em uma só viagem 60 mil toneladas, o potencial do contêiner parece perder expressão no mercado externo, mas essa concepção vai se dissipando diante dos argumentos favoráveis à modalidade.

    Primeiramente, a opção por exportar em volumes menores já representa um bom negócio para pequenos exportadores e importadores. Somando-se a isso o custo reduzido do frete marítimo, mais a agilidade no envio, uma nova perspectiva se desenha: a da exportação sob medida, que atende ao mercado, alcança novos elos da cadeia e contorna deficiências estruturais, agilizando o escoamento da produção. 

    O navio graneleiro, no entanto, não perde importância. Rodrigo Dall Orsoletta, gerente comercial do Terminal de Contêineres (Tecon) Rio Grande, esclarece que, em maior escala, a exportação por contêiner é inviável. “Para exportar 20 mil toneladas de grãos (o equivalente a um terço da capacidade de um graneleiro) são necessários 910 contêineres”, esclarece. 

    Sem conflitar com as grandes exportações, o contêiner tornou-se uma opção viável, também, para contornar gargalos logísticos que atrasam e dificultam embarques. “Este ano, com uma safra recorde, os navios graneleiros não dão conta de toda produção. Existe uma oferta de produto maior do que a de navios”, afirma Dall Orsoletta. “Nossos armazéns estão cheios de soja, o grão toma conta dos portos e o contêiner é um caminho para escoar parte dessa produção”, sustenta o consultor de agronegócios João Carlos Kopp. Além de remeter parte da safra, o contêiner ganha dos graneleiros em agilidade. 

    Fonte: Jornal do Comércio
     ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook 

    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários