Rodada de negócios atrai mais de 200 empresas

    Promovido pela Agência de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), por meio do Programa RS Indústria Oceânica, o 2º Supply Day, rodada de negócios da indústria naval e oceânica, movimentou o Cidec-Sul da Furg. O evento, realizado em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), reuniu as principais empresas compradoras do segmento de petróleo e gás com potenciais fornecedores em mais de 450 reuniões de negócios. Os encontros ocorreram das 8h às 18h e envolveram empresas dos Polos Navais de Rio Grande e do Jacuí.  
    Conforme o vice-presidente da AGDI, Aloísio Félix da Nóbrega, a rodada é planejada com antecedência. Inicialmente, foi anunciada no portal eletrônico do Sebrae, onde foram colocadas as demandas dos estaleiros (compradores) e as empresas fornecedoras agendaram reuniões para ocorrerem no 2º Supply Day. Inscreveram-se em torno de 200 empresas com pedidos de agendamento e outras compareceram no evento para serem encaixadas em espaços abertos por ausência de inscritas.
    No total, ontem havia 220 empresas das áreas de metalmecânica, eletroeletrônico, automação e serviços, para oferecer seus produtos e serviços, e 14 compradoras – estaleiros e empresas dos Polos de Rio Grande e do Jacuí, mais a Refinaria Riograndense e a Petrobras. No ano passado, havia pouco mais de 100 empresas oferecendo seus produtos.
    “A nossa medida de sucesso não é só o número de empresas participantes, mas também quantas delas começarão a ser contatadas nas próximas semanas e passarão a ser fornecedoras. O objetivo da rodada é permitir que as pequenas empresas se aproximem dos estaleiros. Depois da primeira edição do Supply Day, várias empresas gaúchas se tornaram fornecedoras dos estaleiros”, explicou. O evento é para prospecção de negócios.
    Esse período de término de plataformas (a P-55 será entregue em 16 de setembro e a P-58 deve ficar  pronta em outubro), de espera pelo contrato de outros projetos (P-75 e P-77) e consequente incerteza de destino para trabalhadores, não preocupa Nóbrega. “O horizonte de novas encomendas da Petrobras está muito firme. E a tarefa das grandes empresas é competir”, observou Nóbrega, acrescentando que a preocupação da AGDI é que permaneça a competitividade dos estaleiros gaúchos e o Estado pode contribuir para isso, dando incentivos para diminuir custos. A oscilação da mão de obra é considerada normal neste setor. Além disso, Nóbrega diz que com o Polo Naval do Jacuí, que está em fase de contratação, a mão de obra vai circular dentro do Estado.
    Reafirmando negócios
    Uma das empresas fornecedoras que participou do 2º Supply Day foi a J.A. Silveira Construção e Comércio Ltda, de Pelotas e com filial em Rio Grande, que trabalha com brita, saibro e serviços de terraplenagem. O seu gerente comercial, Maurício Brandalise, disse ter agendado reuniões com a EBR, Ecovix, Engevix, Metasa, UTC Engenharia e Quip. Iria passar o dia em reuniões no evento. Segundo ele, essas rodadas de negócios são muito válidas porque de outra forma é difícil conseguir ser atendido nas empresas grandes.
    “Agendando pelo site a gente se desloca um dia para o evento, e fala com todas elas. Para as compradoras também é melhor assim, pois elas lançam suas demandas no site e o fornecedor vai ao encontro delas”, salientou. Bransalise contou que ontem estava participando para reforçar negócios já feitos em rodadas (do Sebrae e AGDI) anteriores.
    Fonte: Carmem Ziebell – Jornal Agora

    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários