Complexo energético Rio Grande foi apresentado na Câmara de Comércio

    O Complexo Energético Rio Grande foi o tema da reunião-almoço “Tá em Pauta”, da Câmara de Comércio, realizada na última quarta-feira. O palestrante foi Ricardo Nino Machado Pigatto, sócio e diretor da Regás Brasil Sul, empresa responsável pela execução do complexo. Conforme ele, esse complexo é composto de três projetos distintos entre si, mas interligados. “É um dos projetos mais importantes do Estado. É o caminho do desenvolvimento com gás natural para o Rio Grande do Sul”, disse Pigatto.
    O projeto do Complexo compreende um Terminal de Estocagem e Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL), a Unidade Termelétrica do Rio Grande (UTE) e o Gasoduto Rio Grande – Triunfo. O gasoduto se estenderá por 308 quilômetros, desde Rio Grande até o Polo Petroquímico, em Triunfo. O terminal de regaseificação será implantado entre os terminais da Braskem e da Petrobras. Já a UTE, que seria instalada no Distrito Industrial do Rio Grande, será feita em nova área, que está em fase de aquisição na Vila da Quinta.
    Ao longo do traçado do gasoduto, haverá sete pontos de entrega, pois ele passará por vários municípios. O gás também poderá ser oferecido para Santa Catarina e Paraná. A comercialização de energia é feita em leilões do tipo A-5, em que a energia contratada hoje terá de ser entregue em cinco anos. O próximo leilão está marcado para 13 de dezembro, e o projeto da UTE, Rio Grande está participando. “É dar certo o leilão e se consegue implantar”, salientou.
    O gasoduto também depende de leilão. Seu projeto foi apresentado ao Ministério de Minas e Energia em março deste ano e, conforme Pigatto, “sai de qualquer jeito”. “É o primeiro projeto privado colocado para o Programa de Expansão da Malha de Transporte Dutoviário”, ressaltou Ricardo Pigatto, que aguarda a licitação  para julho de 2014. “Precisamos estar com todos esses complexos operando até janeiro de 2018″, observou.
    Os investimentos previstos são R$ 70 milhões no píer de atracação, R$ 800 milhões no terminal de regaseificação, R$ 2 bilhões na UTE Rio Grande e R$ 900 milhões no gasoduto Rio Grande/Triunfo. A reunião-almoço contou com a participação de diversas lideranças empresariais e políticas, incluindo o prefeito do Rio Grande, Alexandre Lindenmeyer. O evento foi coordenado pelo presidente da Câmara de Comércio, Renan Lopes.  
    Fonte: Carmem Ziebell – Jornal Agora

    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários