Reunião trata da operação de desembarque de parte do casco da P-67

    Representantes da Praticagem da Barra, Ecovix-Engevix, Petrobras, Marinha, Companhias de Rebocadoresm entre outros, reuniram-se na tarde desta terça, na sede da Praticagem, para tratar sobre a megaoperação que será realizada para desembarque de uma parte do casco da plataforma P-67 que deve chegar em Rio Grande na manhã desta quarta-feira, vinda da China. As informações são do Jornal Agora, de Rio Grande.

    O casco desta unidade está em execução no Estaleiro Rio Grande (ERG1), localizado no Superporto rio-grandino, mas devido à construção da P-55 ter ocupado espaço no mesmo estaleiro, duas partes dele foram construídas na China para não atrasar sua construção.

    Na manhã desta quarta-feira, chega ao porto rio-grandino o bloco MB01-67, que consiste na metade do casco da P-67. Esse bloco tem 147 metros de comprimento, dez metros de altura, 50 metros de largura e peso de 21.530 toneladas. Ele foi construído no Estaleiro Cosco, na China, e está sendo trazido para Rio Grande pelo navio Xiang Rui Kou. Na reunião de ontem, a Praticagem apresentou o planejamento da manobra de entrada do navio e descarga do bloco – que é a proa da P-67.

    Ao chegar, o navio deverá ser fundeado em uma área próxima ao ERG1. Já na quinta, será deslocado e fundeado em uma área em frente ao estaleiro. Neste segundo local, deverá submergir até 17,6 metros para fazer o MB01-67 flutuar. Depois que flutuar, essa parte do casco será conduzida por quatro rebocadores e atracada no cais do Estaleiro Rio Grande. Conforme exposto na reunião, quinta-feira as condições climáticas deverão estar favoráveis à operação, que deverá estender-se por aproximadamente 12 horas. Só para o navio submergir, serão seis horas. Porém, o canal de acesso deverá ser interditado para movimentação de navios por apenas duas horas, a partir da flutuação do mega bloco.


    De acordo com o secretário executivo da Praticagem da Barra do Rio Grande, Pedro Luppi, será uma operação que necessita de muito cuidado e segurança. Está prevista para o final de janeiro ou início de fevereiro a chegada de mais uma parte do casco da P-67 feita na China. Uma terceira parte deste casco está sendo feita no ERG1. Depois, as três peças serão unidas. O casco da P-67 faz parte da  série de oito cascos de FPSOs (sigla em inglês para plataforma flutuante que produz, processa, armazena e escoa petróleo) que a Ecovix-Engevix fará para a Petrobras no ERG1. No momento, estão em construção os cascos da P-66 e da P-67.

    Fonte: Carmen Ziebell – Jornal Agora

     ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook 

    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários