Saída da P-58 pode ocorrer nesta quarta

    A operação de saída da plataforma P-58 do porto do Rio Grande chegou a ser iniciada nesta segunda-feira, por volta das 4h, mas foi abortada perto das 11h30min. As informações são do Jornal Agora, de Rio Grande. De acordo com a reportagem, foi preciso ajustar o calado da embarcação, atividade que atrasou a operação e impediu a desatracação dentro do período apropriado. Inicialmente, a plataforma teria que desatracar até às 10h, tempo que não foi suficiente. Foi solicitada extensão do prazo até às 11h, porém não foi possível iniciar a manobra até este novo horário. E como a operação toda demora em torno de 10 horas, se a desatracação ocorresse após às 11h não daria para concluir a operação antes do anoitecer. Em função disso, após análise das condições meteorológicas foi decidida a transferência da saída da P-58 para quarta-feira, dia 4.

    Conforme a reportagem assinada por Carmem Ziebell, para a confirmação ou não ainda haverá uma reunião terça-feira, às 14h30min, na Quip, entre todos os envolvidos.

    Inaugurada pela presidente Dilma Rousseff e pela presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, no dia 8 de novembro, a P-58 é uma plataforma do tipo FPSO (plataforma que produz, armazena e transfere petróleo na sigla em inglês). É a quarta plataforma a ser concluída em Rio Grande. Do porto rio-grandino, ela irá para o norte do Parque das Baleias, na Bacia de Campos, litoral do Espírito Santo, onde vai ser instalada. Essa unidade irá extrair petróleo tanto da camada pré-sal, quanto da camada pós-sal. Tem capacidade de produção de 180 mil barris de óleo por dia e de compressão de 6 milhões de metros de gás/dia, de injeção de água de 350 mil barris/dia e de acomodações para 110 pessoas. Sob responsabilidade, em Rio Grande, da CQG e Quip, as obras de construção desta plataforma geraram em torno de 4,5 mil empregos diretos e 13.500 indiretos.
    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários