Feira do Polo Naval: balanço do 3º dia de atividades

    O Painel 2 do Navtec na 3ª Feira do Polo Naval apresentou o tema “Contribuições da Pesquisa Aplicada para a Indústria Offshore”, na manhã desta quinta-feira, 13. A coordenação foi do diretor geral do Instituto Nacional de Pesquisas Oceânicas e Hidroviárias (Inpoh), Segen Estefen. O Inpoh é vinculado ao Ministério da Ciência e Tecnologia. Estefen falou do órgão do qual é diretor geral e disse que o setor naval está se tornando tradição em Rio Grande. “É uma satisfação ver os avanços nessa área”, afirmou. Para o diretor, as universidades brasileiras são indispensáveis para que os desafios do setor de óleo e offshore sejam superados. “Sem essas instituições pouco vai poder ser feito”, assinalou. “Os centros de sabedoria devem contribuir através da parceria com a Petrobras”.

    O engenheiro da Petrobras, Paulo Mauricio Videiro, revelou que a Petrobras tem um ponto forte na área de tecnologia. Segundo Videiro, é estratégico para a Petrobras ampliar o domínio tecnológico em construção e montagem com foco em tecnologias de projetos, construção e montagem navais visando ao aumento da produtividade. “Ainda não conseguimos chegar ao nível de produtividade do âmbito internacional”, ponderou. O engenheiro disse que foram definidos 13 desafios da área tecnológica para melhorar a produtividade.


    Foi palestrante ainda no Painel 2 o professor da FURG, José Henrique Muelbert, coordenador do INCT-COI. O secretário de Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico do Rio Grande do Sul, Cleber Cristiano Prodanov, tratou das ações de sua secretaria. Ainda no evento Janice Romaguera Trotte Duhá, coordenadora geral para o Mar e Antártica do Ministério da Ciência e Tecnologia.


    SINQ-NAVAL: Atividades desta quinta-feira

    O 2º Simpósio em Oportunidades para a Indústria Química no Setor Naval: Escoamento Multifásico recebeu na tarde desta quinta-feira, 13, o engenheiro de aplicações e vendas do Comércio de Soldas e Equipamentos Ltda. (Comsol), Luís Eraldo Pereira. O engenheiro apresentou um workshop trazendo uma introdução ao uso de um software que auxilia na resolução de equações diferenciais através do método de elementos finitos. Segundo Luís Eraldo, a utilização deste sistema tem diversas vantagens, uma delas é o melhor aproveitamento do tempo, por exemplo: através deste software é possível realizar experiências com mais precisão em menos tempo, ao invés de realizá-la na prática.


    O SINQ-NAVAL segue até sexta-feira, 14. A programação pode ser obtida através do site www.navcomp.c3.furg.br.


    NAVCOMP: Atividades desta quinta-feira

    O 1º Simpósio em Oportunidades para a Indústria Química no Setor Naval: Escoamento Multifásico apresentou na manhã desta quinta-feira, 13, a palestra internacional “An overview of monitoring strategies in the coastal ocean and their application”, com o professor da University of SouthCarolina (USA), George Voulgaris. No período da tarde, foi realizada a palestra “Desenvolvimento de soluções de controle e automação para processos de produção e processamento de óleo e gás”, com o professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), André Maitelli. O professor falou sobre as soluções de automação que a UFRN desenvolve para a Petrobras com o objetivo de otimizar a produção da empresa no que diz respeito à extração e à exploração do petróleo, referente à automação de controle. Segundo André, o encontro serviu como uma ação de motivação para que acadêmicos e profissionais da área desenvolvam projetos semelhantes à este, voltados para o setor tecnológico. Logo após, foi realizado o painel: “Novas Tecnologias para o Monitoramento Ambiental da Plataforma Continental Brasileira” com a participação de professores e especialistas, que discutiram temas voltados para a área de monitoramento ambiental.


    O NAVCOMP segue até esta sexta-feira, 14. A programação pode ser obtida através do site: www.navcomp.c3.furg.br.


    Reunião do Comitê Gestor do APL

    Na tarde desta quinta-feira, 13, foi realizada a segunda reunião do Comitê Gestor do Arranjo Produtivo Local Polo Naval e Offshore de Rio Grande e Entorno (APL). Há exatamente um ano, foi realizada a primeira reunião do Comitê, também, dentro da Feira do Polo Naval. De acordo com o Vice-reitor da FURG, Danilo Giroldo, o encontro serviu para discutir os principais pontos do projeto e quais foram os avanços obtidos desde a primeira reunião até o momento. Entre as pautas estavam: Informes; Projetos em andamento (mapeamento de competências industriais de empresas para o mercado de petróleo, gás, naval e offshore do Rio Grande do Sul; Fiergs/AGDI; apresentação do Fórum Estadual de Petróleo, Gás e Naval do RS (Promimp); AGDI); Proposta de Entidade Associativa para gestão do APL – Câmara do Comércio do Rio Grande e assuntos gerais.


    Seminário de Direito

    O Seminário de Direito da Feira do Polo Naval realizou na tarde desta quinta-feira, 13, o 2º Painel do evento que abordou o tema “Direito Processual”, tendo como coordenador o professor Miguel Ramos. Foram discutidos os seguintes assuntos: “Processo Eletrônico no Brasil: histórico e atualidade”, com o juiz federal do Tribunal Regional Federal da 4º Região, Eduardo Picarelli; “O Processo Eletrônico na Justiça do Trabalho”, com o desembargador do trabalho do Tribunal Regional do Trabalho âmbito do Poder Judiciário Estadual”, com o juiz de Direito do Tribunal de Justiça de Justiça do Rio Grande do Sul e membro do Conselho de Informática do TJRS, André Luis Tesheiner; “O Processo Eletrônico na Visão do Advogado”, com o vice-presidente da Comissão de Tecnologia da Informação da OAB/RS e membro do Comitê Gestor do Processo Judicial Eletrônico (PJe) no Conselho Nacional de Justiça.


    Ainda dentro da programação do seminário, destaque para a realização de uma aula telepresencial de inglês jurídico voltada aos interessados em atuar no ramo do direito internacional ou realizar transações com diferentes nacionalidades. A aula , realizada na noite de quinta-feira, foi ministrada pelo British Legal Centre, que atua com a prática de advogados britânicos e juristas que ensinam a alunos de diversos países como se posicionar no mercado do direito internacional. “A construção naval é uma atividade essencialmente internacional, como podemos perceber pela grande presença de estrangeiros em nossa cidade. Por sua vez, o inglês é o idioma universal do mundo dos negócios. A nossa intenção é proporcionar aos participantes do Seminário uma noção básica do vocabulário e redação jurídica em inglês, de forma a instigar os nossos colegas a aprimorar as suas habilidades e ampliar o alcance das suas atividades profissionais”, disse o coordenador do Seminário de Direito, Arthur Rocha Baptista.


    Inpoh

    O diretor-geral do Instituto Nacional de Pesquisas Oceânicas e Hidroviárias (Inpoh) Segen Estefen, palestrou na noite desta quinta-feira, 13, abordando a estrutura e os objetivos da implantação desse instituto. Segundo Estefen, uma das metas do Inpoh é estudar e pesquisar a oceanografia bem como os estudos portuários. “Nossa missão é tratar da inovação, de forma que possamos induzir algumas indústrias no que diz respeito a equipamentos oceanográficos. Com cerca de 8.500km de costa no Brasil, e aproximadamente 150.000km de rios, precisamos aproveitar essas estradas naturais, e o instituto pode auxiliar nesse processo”, disse.


    De acordo com ele, o Inpoh é estruturado como uma Organização Social e, assim, vai desempenhar atividades dos ministérios parceiros. No organograma, o órgão máximo do Instituto Nacional é o conselho composto por 12 membros. Quatro são representantes de órgãos da administração pública federal: Ministério da Defesa, Ministério da Pesca, Secretaria Especial de Portos da Presidência da República e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

    Fonte: Assessoria de Comunicação Social da FURG
    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários