Federasul prega a união do empresariado da região

    Rio Grande sediou na última sexta-feira (25), o Encontro Regional da Federação das Associações Comerciais do Rio Grande do Sul (Federasul).

    O evento foi realizado na Câmara de Comércio e teve como principal ponto abordado a união dos empresários em torno das reivindicações de cada região do Estado, aproveitando que este é um ano eleitoral. “Vamos focar, principalmente, na infraestrutura, pois, particularmente, Rio Grande tem questões seríssimas que precisam ser atendidas pelas autoridades estaduais e federais”, o vice-presidente Regional da Federasul, Paulo Somensi.

    Pela manhã,  o presidente da Câmara do Comércio, Renan Lopes, promoveu uma reunião para a criação de um núcleo de mulheres empresárias. Outras cidades do Estado já tiveram iniciativa semelhante e, na ocasião, esteve presente a vice-presidente de Integração da Federasul e presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (Acis) de Canoas, Simone Leite, acompanhada da coordenadora de Projetos da Federasul, Maiara Fangueiro. A reunião contou também com a presença das empresárias rio-grandinas Márcia Mara Campello, Gládis Helena Hadrich Xavier, Luciana Zanetti, Cínthia Dornelles, Fernanda Hilário e Wanda Leite.

    Porto no Uruguai

    O presidente da Câmara de Comércio, Renan Lopes, protestou contra a intenção do Governo Federal de financiar a construção de um porto no Uruguai. “Por que dar financiamento para um porto uruguaio, quando precisamos de investimentos no porto, no aeroporto e em nossas estradas?”, indagou Lopes, que aproveitou a oportunidade para apresentar as reivindicações da região, que são: Duplicação do lote 4 da BR-392, da ERS-734 do Trevo ao Pórtico; a travessia de Santa Izabel e a travessia com São José do Norte.

    O presidente da Federasul,  Ricardo Russowsky, adiantou que buscará o comprometimento dos candidatos ao Governo Estadual e da Assembleia Legislativa com o desenvolvimento das várias regiões do Estado. Russowsky também mostrou-se preocupado com o financiamento à construção do porto uruguaio. “Qual o interesse político do País em apoiar este projeto no país vizinho?”, indagou e prosseguiu: “Se concretizado, trará prejuízos enormes para a região”, avaliou o presidente da Federasul.

    O prefeito Alexandre Lindenmeyer falou que é importante que Rio Grande não seja “uma ilha de desenvolvimento”. “É importante fortalecer também os municípios do entorno. Penso que com o Polo Tecnológico, não nos tornaremos reféns de situações de momento. Temos de buscar outras alternativas de desenvolvimento, além do Polo Naval”, disse Lindenmeyer.  
    ________________________________________________________  
    Curta o Blog no Facebook 

    Siga o Blog no Twitter
    Receba as atualizações do Blog no seu e-mail (newsletter)   




    Comentários