Rio Grande: Escola de Belas Artes no complexo do Praça Rio Grande Shopping

    No próximo dia 30, quarta-feira, um coquetel de inauguração marcará a próxima etapa da história da EBAHL e do prédio das antigas arquibancadas do Jockey Club de Rio Grande. A 5R Shopping Centers revitalizou o espaço e convidou a escola a se instalar lá.

    O projeto de ter um centro de arte e cultura dentro de um complexo multiuso é novidade no Brasil. “Já deu certo, a Escola de Belas Artes já está participando da vida do shopping, a exemplo do Inverno Cultural, onde a Escola organizou, junto com o shopping, uma semana de mostras culturais, entre outros projetos, que deverão acontecer em breve. Isso é espetacular para a cidade.” – orgulha-se Felipe Fulcher, presidente da 5R Shopping Centers.

    O prédio, que tem cerca de 2 mil m², foi adequado às atividades da EBAHL. A recuperação das estruturas, todas as adequações e obra civil custaram cerca de R$ 2 milhões. “A Escola é um dos poucos conservatórios de arte do Brasil e faz um belíssimo trabalho, merecia esse presente de reconhecimento.” – afirma Fulcher.
    DSCN2613As aulas da EBAHL deverão começar junto com o início do período letivo das escolas municipais, no início de agosto. “Estamos com uma grande expectativa para o início das aulas, ajustamos todos os detalhes para que nossos alunos aproveitem a estrutura e que isso contribua com o trabalho que eles já vêm fazendo.” – explica Beatriz Batezat Duarte, diretora da EBAHL.

    A atual Escola de Belas Artes Professor Heitor Figueira de Lemos, instituição municipal da cidade do Rio Grande, vinculada à Secretaria Municipal de Educação, originou-se de uma transmutação do Conservatório de Música do Rio Grande, criado em 1º de abril de 1922. Ao agregar atividades além da música, em 1965 a instituição tornou-se o que é hoje.

    Oferece ensino de arte nas áreas de Música, Dança e Artes Plásticas para o exercício consciente da cidadania e profissionalização de seus mais de 400 alunos. São oferecidas cerca de 20 modalidades entre cursos, oficinas e atelier trabalhadas por 24 profissionais, apoiados pela Associação de Amigos da EBAHL.

     




    Comentários