Jornal Zero Hora: “Alerta ligado no polo naval”

    O nível de incerteza que ronda o polo naval de Rio Grande subiu nesta semana. Assim que o casco da P-66 zarpou na segunda-feira, começaram as demissões na Engevix. Embora baixas fossem esperadas pelo Sindicato dos Metalúrgicos do Rio Grande e São José do Norte (Stimmmerg), o vice-presidente da entidade, Sadi Machado, afirma que os desligamentos não ocorreram conforme o anunciado pela empresa.

    – Eles alegam que as dispensas ocorreram porque foi uma etapa finalizada, mas têm outros projetos e poderiam realocar esses trabalhadores. Denunciamos no Ministério Público do Trabalho – diz Machado.

    A Engevix tem outros dois cascos sendo montados em Rio Grande. O sindicato estima 1,5 mil dispensas. Espera ao menos que, no final de janeiro, sejam retomadas as contratações na QGI, dona de outro estaleiro.

    Entre as empresas fornecedoras do polo, também acendeu o alerta. Embora as informações sejam desencontradas, existem queixas de pagamentos atrasados e desconfiança em relação aos próximos passos da Engevix. A empresa é uma das envolvidas na Lava-Jato e ontem teve executivos denunciados pelos Ministério Público Federal. Procurada, a Engevix não se manifestou.

    Em busca de esclarecimentos, diretores do sindicato terão nesta segunda-feira um encontro com a presidente da Petrobras, Graça Foster, no Rio.

    Fonte: Caio Cigana – + Economia – Jornal Zero Hora




    Comentários