PIB Estadual de 2012: Rio Grande em 4º, Pelotas em 9º no RS

    A Fundação de Economia e Estatística (FEE), em conjunto com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), está divulgando as estimativas preliminares do Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios do Estado referentes ao ano de 2012, juntamente com as revisões dos valores do ano de 2011.

    Apresentado na última semana em Porto Alegre, o diagnóstico feito com os dados mais recentes mostra que a produção gaúcha de riqueza ainda é bastante concentrada em três polos: Região Metropolitana – com Porto Alegre, Canoas e Gravataí à frente –, Rio Grande e Caxias do Sul. Juntas, as cinco cidades somam 34,4% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. Se observado a lista com 10 municípios mais ricos, a concentração chega a cerca de 44,7% da renda gerada. 

    O maior avanço em 2012 coube a Passo Fundo, no norte do Estado, que, graças ao bom desempenho no setor industrial, pulou de nono para sexto lugar no ranking de municípios mais ricos. Na última década, a região tem se destacado na atração de fábricas de biocombustíveis, de alimentos e de ração animal.

    Eldorado do Sul também registrou bons resultados, mas ancorado no setor de serviços. A cidade, sede de uma empresa americana da área de tecnologia, foi beneficiada pela venda de produtos.

    – Uma indústria também fortalece o setor de serviços, criando um círculo virtuoso na economia. Cidades com comércio mais robusto tendem a ter crescimento mais estável e estão menos propensos a soluços gerados por quebras de safra – explica Vinícius Dias Fantinel, economista da FEE e responsável pelo levantamento.

    Entre os maiores, a queda mais expressiva foi em Canoas. O refino de petróleo, atividade-chave para a economia da cidade, sofreu impacto da queda no preço da matéria-prima no mundo.

    MunicípiosProduto Interno Bruto
    ValorVariação nominal (%)Participação (%)Posição no Ranking em 2011
    (R$ 1 000)20122011
    Porto Alegre     48.002.2095,5   17,29   17,27
    Caxias do Sul     16.651.3570,1     6,00     6,31
    Canoas     14.856.173-4,2     5,35     5,88
    Rio Grande       8.965.4479,4     3,23     3,11
    Gravataí       6.936.437-5,0     2,50     2,77
    Passo Fundo       6.275.58925,8     2,26     1,89
    Triunfo       6.071.1712,3     2,19     2,25
    Novo Hamburgo       5.836.5936,1     2,10     2,09
    Pelotas       5.532.9922,1     1,99     2,06
    Santa Cruz do Sul       5.128.3333,7     1,85     1,8810º

    FONTE: FEE/Centro de Informações Estatísticas/Núcleo de Contabilidade Social.

    A estiagem que castigou agricultores em 2012 prejudicou principalmente os municípios do noroeste gaúcho, fortes produtores de soja. Em 2012, o Estado apresentou PIB de -1,5%. O setor agropecuário, com queda de 28,1%, e o industrial, com recuo de 2,1%, foram os principais responsáveis pela taxa negativa. Serviços apresentou crescimento de 2,4%.

    Em 2013, o cenário deve ser bastante diferente, afirma o especialista da FEE. A safra recorde de grãos no ano seguinte à estiagem deve ter impulsionado a economia das cidades mais agrícolas. A ampliação de uma fábrica de celulose em Guaíba também deve gerar impactos e fazer o município subir alguns degraus na lista de cidades mais ricas.

    O PIB municipal usa o critério da variação nominal, que não desconta a inflação do período. A fórmula é diferente da aplicada para o PIB estadual e nacional, que contabilizam inflação.

    Com informações de Cadu Caldas, Jornal Zero Hora




    Comentários