Fábrica de torres eólicas começa a ser instalada em Rio Grande

    A fábrica da WEG, que construirá as 25 torres de sustentação para os aerogeradores do complexo eólico da CEEE, começa a ganhar forma. As obras para a instalação da fábrica de torres, em uma área de aproximadamente seis hectares, tiveram início no último mês de março, com a supressão vegetal do solo. Nesta quinta-feira (7), os empreiteiros concluiam o preparo do terreno para a concretagem do piso e, de acordo com o chefe de implantação de parques eólicos da empresa, Valter Marcelo Zitske, a estimativa é de iniciar as atividades da fábrica já na primeira quinzena de julho. Os investimentos para a implantação são de aproximadamente R$20 milhões. A fábrica está sendo instalada no quilômetro 35 da BR-392, na entrada do Ecomuseu da Picada, Arraial.

    As torres de concreto, encomendadas para o empreendimento da CEEE, terão 120 metros de altura, sete metros de diâmetro na base e 3 metros de diâmetro no topo. Cada torre pesará 1.2 mil toneladas. Segundo Zitske, as 25 torres deverão ser construídas num prazo de 8 meses, gerando cerca de 150 empregos diretos e 300 empregos indiretos. Ele informou ainda que, para realizar o transporte de uma torre da fábrica até o parque eólico, são necessárias de 40 a 45 carretas, que carregam a estrutura desmembrada.

    fabrica

    De acordo com Zitske, um dos motivos que levaram a empresa a construir a fábraca em Rio Grande foi justamente a questão logística, uma vez que a região é propícia para receber empreendimentos eólicos. Além de Rio Grande, a fábrica possivelmente atenderá empreendimentos de energia eólica no Rio Grande do Sul e Uruguai. Zitske afirmou ainda que a Prefeitura do Rio Grande facilitou a instalação do empreendimento, dando todo o suporte burocrático para agilizar as licenças a tempo de atender o empreendimento da CEEE.

    O complexo eólico da CEEE compreende três parques eólicos, na fazenda Vera Cruz, Curupira e Povo Novo. Com 25 aerogeradores ao todo, o complexo terá uma capacidade instalada de 55MW. O empreendimento, que custará cerca de R$ 265 milhões, deve ficar pronto em janeiro de 2016.

    O representante da WEG visitou as obras do empreendimento, ontem, acompanhado do prefeito, Alexandre Lindenmeyer, e o titular da Secretaria de Município de Desenvolvimento, Inovação, Emprego e Renda (SMDIER), Jordano Marques. Na oportunidade, o secretário tratou com Zitske sobre a possibilidade de qualificar mão de obra local para trabalhar na construção das torres, através de cursos pronatec ou outros.

    Jordano comentou, na oportunidade, que a administração do Município está, desde o início da gestão, empenhada em atrair empreendimentos de energias renováveis para a cidade. Com esse objetivo, disse que são realizadas viagens e missões para adensar a matriz econômica e fortalecer a economia do Município. Segundo ele, o Município apoiou a CEEE no leilão de energia, facilitou a instalção da fábrica de torres e também viabilizou a instalção de uma fábrica de placas solares para geração de energia que será construída em uma área de 9 hectares, próxima à fábrica de torres eólicas.

    “Do mesmo modo que nós estamos trabalhando para o adensamento da cadeia produtiva naval na cidade, atraindo empresas do ramo para cá, é, também, interesse deste governo observar as demais potencialidades de geração de emprego e renda que a nossa região tem a oferecer, como a área de produção de energia renovável”, acrescenta o prefeito.

    Fonte: Tatiana Fernandes – Jornal Agora




    Comentários