FURG ASSINA CONTRATO COM A EBSERH

    ebserh

    Do Jornal Agora – Aline Rodrigues

    Foi assinado, nesta quinta (23), o contrato entre a Furg e a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). No último dia 17, o Conselho Universitário (Consun) da Furg aprovou, por 22 votos favoráveis, um contrário e três abstenções, a adesão do Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Junior à Ebserh.

    Conforme a reitora da Furg, Cleuza Dias (ao centro na foto), a adesão à Ebserh é um marco para a Universidade. “Hoje (ontem) é um dia que marca uma nova etapa para a universidade, para o hospital e para a comunidade rio-grandina. Essa etapa começou quando o Conselho Universitário aprovou a adesão à Ebserh, e fizemos isso com a certeza de que estamos dando um grande passo”, destacou.

    Ela salientou que, com a assinatura do contrato, o HU receberá um aporte financeiro de R$ 340 mil, o qual possibilitará a abertura da UTI Pediátrica. “Serão 1.043 vagas, através de concurso público, para o hospital. Assinamos o contrato e fizemos uma reunião técnica junto ao Hospital Universitário. Nós teremos, a partir das próximas semanas, o estudo para que possamos determinar as vagas para o concurso público, que deve ser realizado em setembro ou outubro”, explicou.

    A reitora comentou que, após a realização do concurso, devem ocorrer a nomeação dos aprovados. “A partir de janeiro, devemos estar nomeando os aprovados no concurso. Nós já estamos recebendo R$ 340 mil, para que possamos fazer contratos temporários pela fundação (Fundação de Apoio ao Hospital de Ensino do Rio Grande – Faherg) até a realização do concurso. Agora, temos a possibilidade de, com esse aporte, oferecer salário de mercado para atrair os profissionais”, apontou. Ela afirmou que, assim que o edital for publicado, devem ocorrer as contratações temporárias, as quais antecedem o concurso e que ocorrerão por meio da Faherg.

    Cleuza garantiu que essas contratações temporárias terão a duração de seis a oito meses e que ocorrerão para que a UTI Pediátrica do HU seja aberta o mais breve possível. “Logo, o edital deve estar saindo para a publicação e, quem sabe, em outubro, podemos estar inaugurando a UTI Pediátrica”, ressaltou.  De acordo com a reitora, a abertura da UTI será um sonho realizado e que, com a adesão a Ebserh, não corre risco de dar errado. Ela enfatizou que a gestão do HU passa a ser compartilhada entre a Furg e a Ebserh. “Nosso hospital permanece 100% SUS, daqui para frente, com melhores condições e com possibilidades de aberturas de novos serviços. Não é a inauguração ainda da UTI, mas não tem como não ficar emocionada. Eu, como reitora, me sinto muito honrada de participar desse momento”, disse.

    Na ocasião, o presidente da Ebserh, Newton Lima (na foto ao microfone), afirmou que a intenção é cada vez mais ampliar os serviços oferecidos pelo hospital. Além disso, ele reforçou que os serviços hoje oferecidos pelo HU serão mantidos na integralidade. “Quem ganha com a adesão à Ebserh é os pacientes do SUS, os trabalhadores e o desenvolvimento econômico da cidade do Rio Grande”, destacou. Ele acrescentou que muitas melhorias serão realizadas através de um planejamento que está sendo construído.

    A diretora do HU, Helena Vaghetti, salientou que, após a abertura de 1.043 vagas, futuramente, mais 600 vagas devem ser oferecidas por meio de concurso público. Ela ressaltou que, para a abertura da UTI, falta somente que o processo seletivo ocorra, e a previsão é que, na segunda quinzena de agosto, os editais para contratos temporários sejam publicados. Nas próximas semanas, a atual diretora deverá ser anunciada como a nova superintendente do hospital, visto que, com a adesão à Ebserh, a gestão passa a ser compartilhada e a alteração faz parte do novo modelo de administração.

    Faherg

    Sobre a Faherg, a reitora da Furg explicou que não haverá demissão em massa e sim um processo de transição. Ela comentou que existe um planejamento referente ao processo de transição e que, hoje, o HU possui 220 funcionários que entraram por meio de processo de seleção, nos anos de 2011/2012, e 140 que estão há mais tempo no hospital. “Os que entraram em 2011/2012 são profissionais que ingressaram há pouco tempo no hospital, e eles podem participar do concurso público. Os 140 são funcionários de mais tempo, e parte deles fazem parte do serviço de apoio e podem ser futuramente integrados às empresas terceirizadas”, explicou.

    Cleuza salientou que, destes profissionais, alguns já estão próximos da aposentadoria. “Temos muito respeito e consideração pelos profissionais da Faherg e vamos olhar toda essa situação com muito carinho”, finalizou.




    Comentários