AGDI FIRMA CONVÊNIOS DE R$ 5,15 MILHÕES COM ARRANJOS PRODUTIVOS LOCAIS

    SONY DSC

     

    Oito projetos prioritários de Arranjos Produtivos Locais (APLs) gaúchos e as governanças de 11 arranjos passam a receber, a partir de agora, apoio do governo do Estado por meio do Projeto de Fortalecimento de APLs. Os convênios com a Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), no total de R$ 5,15 milhões, estão publicados no Diário Oficial do Estado (DOE) desta sexta-feira quinta-feira (21).

    As parcerias resultam de dois editais realizados no segundo semestre de 2015. O edital de projetos buscou iniciativas que promovessem o desenvolvimento regional e gerassem ganhos econômicos às empresas integrantes do APL. E que, dessa forma, colaborassem para aumentar a competitividade do arranjo, fortalecer sua governança e promover o desenvolvimento regional sustentável. Os projetos selecionados somam R$ 3,05 milhões em recursos:

    APL

    Projeto

    Repasse

    Agroindústria Familiar e Diversidade do Médio Alto Uruguai e Rio da Várzea

    Sistema de comercialização, sistema de inspeção e implantação de kits pontos de comercialização

    R$ 980.154

    Agroindústria Familiar da Região das Missões

    Apoio à organização e estruturação da rede de comercialização

    R$ 134.069

    Polo Naval e Offshore de Rio Grande e Entorno

    Centro de simulação naval

    R$ 990.605

    Agroindústria e Alimentos da Agricultura Familiar do Vale do Rio Pardo

    Inteligência comercial

    R$ 200.000

    Tecnologia da Informação da Serra Gaúcha

    Prospecção e acesso a novos mercados

    R$ 200.000

    Jogos Digitais

    Curadoria de jogos digitais

    R$ 190.050

    Polo de Moda da Serra Gaúcha

    Portal e e-commerce coletivo

    R$ 160.601

    Metalmecânico e Automotivo da Serra Gaúcha

    Constituição de consórcios entre empresas para desenvolvimento e fabricação no RS de produtos adquiridos de fora do Estado

    R$ 650.000

     

    Os 11 APLs que passam a ter a governança apoiada pela AGDI, com valor aproximado de R$ 150 mil cada pelo período de 18 meses, foram avaliados pela importância econômica e social para a região, potencial de inovação e tecnológico do setor produtivo, existência de cooperação entre empresas, interação com instituições locais (associações, universidades e centros de pesquisa, entre outras), vínculos com programas de apoio existentes, relevância e impacto das ações propostas e ainda capacidade de sustentabilidade econômica do APL. São eles:

    • Jogos Digitais
    • Leite da Fronteira Noroeste
    • Tecnologia da Informação e Comunicação da Região Norte – Polosul.org
    • Apicultura do Vale do Jaguari
    • Polo de Defesa de Santa Maria
    • Polo de Moda do Norte Gaúcho
    • Agroindústria e Alimentos do Vale do Rio Pardo
    • Vitivinícola da Serra Gaúcha
    • Missões Agroindústria Familiar
    • Ovinos e Turismo do Alto Camaquã
    • Pré-Colheita do Alto Jacuí e Produção

    Entre as características mais marcantes dessa seleção de governanças e projetos estão a diversidade dos setores produtivos abrangidos e a distribuição no território do Rio Grande do Sul. “Com esses dois novos editais, o Projeto APLs atinge um novo grau de maturidade, que permite apoiar não somente os arranjos que necessitam de impulso na estruturação e manutenção de governança, mas também aqueles cuja organização encontra-se bastante avançada, a ponto de permitir a escolha de um projeto estratégico que auxilie coletivamente no desenvolvimento e em ganho de competitividade pelas empresas participantes”, avalia o presidente da AGDI, Álvaro Woiciechoski.

    Os próximos passos incluem a execução dos planos de trabalho e o repasse pelo Estado dos recursos de financiamento do Banco Mundial. Todas as iniciativas contempladas se comprometem a aportar contrapartida econômica e/ou financeira na realização das atividades. Ao longo de 2016, o projeto prevê investimento total de R$ 6,08 milhões, entre os novos convênios e contratos e os já existentes.

    Encontram-se em fase de elaboração os convênios de apoio à governança de outros quatro APLs selecionados por edital:

    • Leite de Santana do Livramento
    • Agroindústria do Litoral
    • Tecnologia da Informação e Comunicação da Região Central – Centrosoftware
    • Móveis de Torres

    O que são os APLs
    Os Arranjos Produtivos Locais (APLs) são conjuntos de empresas, produtores e instituições que, em um mesmo território, mantêm vínculos de cooperação. Com produtos semelhantes, participam da mesma cadeia produtiva, utilizam insumos comuns, necessitam de tecnologias semelhantes e informações sobre os mesmos mercados. Um APL é a prioridade definida por uma região para o seu desenvolvimento econômico.




    Comentários