FIERGS PREVÊ DESEMPREGO NA INDÚSTRIA COM NOVO PISO REGIONAL

    "Sofremos com o ajuste das contas nacionais que se soma às dificuldades do Estado e agora este índice de aumento em momento de queda na econômia", afirmou o presidente da entidade, Heitor José Müller (Foto: Reprodução)

    “Sofremos com o ajuste das contas nacionais que se soma às dificuldades do Estado e agora este índice de aumento em momento de queda na econômia”, afirmou o presidente da entidade, Heitor José Müller (Foto: Reprodução)

    A aprovação, nesta terça-feira (1º), pela Assembleia Legislativa, do reajuste de 9,6% no Piso Salarial Regional, traz graves consequências à empregabilidade no Estado, segundo a Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS). “Tivemos, no ano passado, aumento nesse Piso Regional de 16%, que foi superior à inflação, acima do aumento da produtividade. Em 2016, esse percentual, de novo muito acima de nossas possibilidades, vai redundar na dispensa de funcionários. Esta é a única forma que as empresas terão para adaptar os custos, tendo em vista que os consumidores já estão comprando menos, colocando o pé no freio porque não sabem se terão o emprego amanhã, e a renda está diminuindo”, alerta o presidente da FIERGS, Heitor José Müller.
    O industrial defende que os acordos devem se dar diretamente entre sindicatos de trabalhadores e empregadores. “Em vez de poder negociar, receber um pouco menos e continuar com o emprego, alguns continuam com todas as vantagens, e outros, lamentavelmente, estão cada vez mais distanciados do mercado de trabalho formal”, diz.



    Comentários