PESQUISADORES TERÃO R$ 26 MILHÕES PARA PROJETOS

    INOVAÇÃO

    O governador José Ivo Sartori e o secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Fábio Branco, promoveram o lançamento público dos Editais do Departamento de Ciência e Tecnologia da SDECT relacionados aos programas de Polos Tecnológicos, RS Incubadoras e de Programa Gaúcho de Parques Tecnológicos. No total estarão disponíveis R$ 26 milhões para apoiar projetos de pesquisadores ligados a Universidades, COREDES, municípios e empresas. O evento efetivado no Palácio Piratini contou com a presença do professor Rui Vicente Oppermann, reitor eleito da UFRGS. Em sua exposição o governador disse que a pesquisa tem que estar na universidade e na empresa e conclamou a todos a sair do que chamou de “mesmice” e inovar nas mais diferentes áreas para que o Rio Grande do Sul retome seu papel de protagonista na economia nacional. Assinalou o enorme potencial que representa os 27 polos tecnológicos já implementados no estado sublinhando que se trata de um grande capital, muitas vezes não reconhecido.

    O Programa de Apoio aos Polos Tecnológicos alocará um total de R$ 16 milhões e apoiará projetos de até R$ 1.000.000,00. Cada unidade executora poderá apresentar até dois (2) projetos. O RS Incubadoras destinará R$ 2.000.000,00 e cada incubadora poderá apresentar um projeto de R$ 500.000,00. As incubadoras de base tecnológica são responsáveis por fazer a conexão entre pesquisa científica, transferência de tecnologia e desenvolvimento de novos produtos. Atualmente existem 19 incubadoras de base tecnológica espalhadas em diferentes regiões do estado. O Programa Gaúcho de Parques Tecnológicos disponibilizará R$ 8 milhões e serão apoiados projetos individualizados de até R$ 2 milhões cada um. Atualmente são 10 parques credenciados no Programa Gaúcho de Parques Científicos e Tecnológicos – PGTEC.

    Para o secretário Fábio Branco, o aporte de recursos do Banco Mundial, garantirá o suporte indispensável para a pesquisa e lembrou que os temas estratégicos são compostos por segmentos que incorporam potencial de desenvolvimento tecnológico com impacto transversal em vários segmentos econômicos. Os temas propostos para projetos de pesquisa dos Editais 2016, estão relacionados com saúde, cadeias e sistemas agroindustriais e alimentares, aeroespacial e defesa, energia, tecnologias sociais, transportes, logística e mobilidade urbana, todos eles capazes de alavancar processos de inovação incremental, agregar novas economias e incrementar a qualidade de vida da população. Ao preconizar a aproximação entre o setor produtivo e o conhecimento científico e tecnológico Branco assinalou que a conjugação de esforços das duas áreas haverá de gerar novos empregos e mais renda. Lembrou, ainda, o apoio que a Fundação de Ciência e Tecnologia – CIENTEC pode alcançar ao setor produtivo na área de inovação.

    Após o lançamento dos editais públicos, o secretário adjunto da SDECT, Renato de Oliveira, instalou um  “Work Shop”, coordenado pela diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia, Suzana Sperry, para explicar as Normativas Técnicas e esclarecer dúvidas e apontar pontos importantes relativos aos editais publicados no Diário Oficial do Estado, em 7 de junho de 2016. Entre outros pontos assinalou que, na atual conjuntura, é importante a transferência de conhecimentos para a média e pequena propriedade rural para evitar a decadência de áreas cultivadas e o abandono da produção de alimentos.

    Os Editais de Chamada Pública DCIT estão à disposição para consulta no site da SDECT – (www.sdect.rs.gov.br) EDITAIS – Ciência e Tecnologia.




    Comentários