CMPC CELULOSE RIOGRANDENSE INAUGURA NAVIO QUE FARÁ A TRAVESSIA DE CARGAS NA LAGOA DOS PATOS

    inauguracao navio 2

    A Cerimônia de Batismo e Lançamento da embarcação Juan Rassmuss, que ampliará o transporte hidroviário de madeira e celulose pelo Lago Guaíba e Lagoa dos Patos, aconteceu no estaleiro da empresa Intecnical S. A., em Triunfo. Os Diretores de Relações Institucionais e Marketing, Francisco Bueno, e de Comercialização, Sérgio Kilpp, representaram a CMPC CELULOSE RIOGRANDENSE no evento que contou com a presença do Governador José Ivo Sartori. A colaboradora da CMPC, Maria Alice Dutra Pacheco, foi a madrinha de batismo da nova embarcação, e protagonizou o tradicional estouro de champanha no casco do navio.

    A construção do Juan Rassmuss é resultado da parceria entre a Celulose Riograndense e a Navegação Aliança, controlada pela Trevisa Investimentos. A estimativa da Navegação Aliança é iniciar as operações com o novo navio na segunda quinzena de julho. O transporte de cargas da CMPC, no entanto, deve se iniciar no quarto trimestre de 2016.

    A embarcação tem 103,80m de comprimento e 15,50m de largura, e capacidade para transportar 4.814 toneladas. Atualmente, a Celulose Riograndense leva a celulose produzida em Guaíba até o Porto de Rio Grande utilizando três navios, com capacidade de 4 mil toneladas, também operados pela Navegação Aliança. No entanto, as embarcações retornam vazias para Guaíba.

    Com a ampliação da capacidade produtiva da indústria de celulose, o modal hidroviário passará a ser melhor explorado. “Vamos continuar transportando a celulose produzida em Guaíba pela Lagoa dos Patos, mas retornaremos com as embarcações cheias de madeira produzida na Região Sul do Estado. Na volta, os navios serão carregados de eucalipto no Porto de Pelotas, que já está passando por melhorias para poder operar a nova demanda”, explica Sérgio Kilpp.

    A previsão é que o volume de celulose a ser transferido a Rio Grande pelo modal hidroviário em 2016 seja de 1.7 milhões de toneladas. Com o início do transporte de toras de madeira a partir do Porto de Pelotas – o que deve acontecer no segundo semestre deste ano – estima-se embarcar 1.200.000 tons/ano. A utilização dos navios para o transporte de madeira entre Pelotas e Guaíba vai eliminar 180 viagens de ida e vinda de caminhões por dia pela BR 116. O volume total a ser transportado pela Celulose Riograndense pela hidrovia (celulose + madeira) será de 2.9 milhões de toneladas por ano.




    Comentários