CIPEL BUSCARÁ R$ 200MILHÕES PARA DUPLICAÇÃO


    wladimir casa no cipel

    O Centro das Indústrias de Pelotas (Cipel) vai formalizar documento envolvendo todas as entidades de classe da região e instituições políticas solicitando a quantia de R$ 200milhões para dar continuidade às obras de duplicação da BR 116 (trecho Guaíba-Pelotas) ainda neste ano de 2016. O anúncio foi feito pelo presidente da entidade, Amadeu Fernandes, durante a reunião de diretoria desta semana, que contou com a participação do engenheiro Wladimir Casa, representando o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT).

    Ao detalhar o estágio atual das intervenções na rodovia, Casa admitiu que apenas dois, dos nove lotes estão com obras em andamento e que talvez os lotes cinco e sete consigam ganhar algum incremento no mês de setembro. Porém, o recurso é pequeno e deverá terminar no final de setembro, quando todo trabalho de duplicação da rodovia será paralisado. “Não temos previsão de recursos para este ano de 2016”, alertou.

    O engenheiro do DNIT também detalhou o andamento das obras relativas ao contorno de Pelotas e adiantou que no início de setembro alguns trechos poderão estar liberados para o trânsito de veículos, como é o caso do viaduto da avenida Herbert Hadler e a ponte sobre a barragem Santa Bárbara, que estão  pendentes na execução do projeto de duplicação e são apontadas como prioridades previstas para estarem concluídas ainda no primeiro semestre.

    O presidente do Cipel disse que envolverá alguns conselhos da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) na mobilização pela duplicação. Ele citou a participação do Conselho de Articulações Legislativas, que deverá dialogar com os representantes políticos para abrir possibilidades de audiências em Brasília e o Conselho de Infraestrutura, que deverá facilitar os estudos sobre a importância do investimento na rodovia, uma vez que até o final deste ano o tráfego de caminhões pesados será intensificado em função das cargas de madeira para o Porto de Pelotas. Fernandes também pretende solicitar ao Ministério dos Transportes a quantia de R$ 600mihões para o ano de 2017. O valor restante, segundo os cálculos do Dnit para a realiza&cc edil;ão completa do projeto é de R$ 800milhões.




    Comentários