O PORTO DE PELOTAS ESTÁ DE CARA NOVA

    porto de pelotas 2

    DO DIÁRIO POPULAR

    Por: Karina Kruschardt – Foto: Jô Folha

    Local vem sendo revitalizado para receber as operações, a partir de outubro, da Celulose Rio-grandense

    Está confirmado. A empresa CMPC Celulose Riograndense começará a atuar no Porto de Pelotas no dia 1° de outubro. A área será utilizada para o escoamento da madeira – matéria-prima na produção de celulose. Desde dezembro de 2015, quando o governador José Ivo Sartori (PMDB) entregou a licença de operação à CMPC, a expectativa à espera desse dia é grande, já que a ativação, além de gerar empregos, aumentará também a arrecadação municipal e estadual.

    As mudanças no cenário portuário da cidade já são visíveis. As obras de requalificação e ativação começaram em fevereiro e chamam a atenção. Segundo o presidente da Celulose Riograndense, Walter Lídio Nunes, 60% do cronograma de atividades já foi concluído. O administrador do Porto de Pelotas, Cláudio Oliveira, ressalta ainda que a movimentação provocou um aumento de arrecadação na receita de 370%, comparado ao mesmo período do ano passado.

    Pelotas terá papel fundamental para aumentar a produção de celulose, extraída da madeira de eucalipto. Atualmente a CMPC produz 460 mil toneladas por ano e a meta é que este número passe para 1,7 milhão, pois o município irá facilitar o embarque das toras com destino à fábrica, em Guaíba.

    Para a madeira chegar até o Porto de Pelotas, um acesso será criado pela BR-392, evitando que os caminhões pesados precisem se deslocar por dentro da cidade. Entretanto, o projeto foi repassado ao Dnit e o órgão aguarda a definição de recursos federais, sem previsão para o início das obras.

    Enquanto o novo acesso não é executado, o trajeto provisório dos caminhões será pelas ruas que historicamente servem de acesso ao Porto – Conde de Porto Alegre, Santos Dumont, Tamandaré, Uruguai, Manduca Rodrigues e Saturnino de Brito. Estas vias estão sendo revitalizadas e sinalizadas para comportar o novo fluxo de veículos.

    Investimento para os moradores
    Os moradores das Doquinhas, localidade próxima ao Quadrado, solicitaram à CMPC obras de drenagem, pois a comunidade sofre com alagamentos em dias de chuva. Estas ações estão sendo executadas e devem sanar o problema. A empresa realizará também a revitalização na Praça da Alfândega. Além disso, a empresa Sagres Agenciamentos Marítimos, junto com a CMPC, firmou convênio com o Comando Ambiental da Brigada Militar (Patram) para a construção de uma base nas Doquinhas. A obra do novo posto já começou e contará com uma doca de atracação para a lancha de patrulhamento, o que vai agilizar as ações da Brigada Militar, aumentando a segurança do local.

    O que já foi feito
    – Troca da balança de pesagem. O equipamento antigo era da década de 70. O investimento desembolsado é de R$ 180 mil
    – Construção de um novo prédio de atracação para uso do Porto
    – Abertura de um novo acesso (portão) para o Porto
    – Construção de rampa
    – Construção de guarita

    O que ainda será feito
    – Conclusão do muro acústico. Está sendo construído para amenizar os transtornos das operações constantes, já que o Porto está próximo de residências e prédios públicos
    – Calçamento da entrada do Porto até o cais, na parte usada pela CMPC
    – Finalização da colocação de duas balanças pertencentes à CMPC. Elas irão controlar o peso dos caminhões na entrada e saída de veículos
    – Montagem do guindaste Multi-Docker, prevista para começar esta semana
    – Instalações na parte elétrica e de automação

    Oportunidade de emprego
    A vinda da CMPC para o munícipio deverá gerar 800 vagas diretas e indiretas. Com isso será possível amenizar o índice de desemprego na Região Sul – apenas Pelotas fechou o primeiro semestre de 2016 com saldo negativo de 1.494 empregos formais, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

    De acordo com o presidente da CMPC, parte dos postos de trabalho já está preenchida, pois corresponde às operações florestais nos municípios da região. Porém, os destinados a Pelotas já trazem reflexos positivos. Na obra de reativação do Porto, a empresa Lamb Construções Engenharia conta com 120 operários. E ainda restam 405 vagas a serem preenchidas. A categoria com mais vagas é para motorista de caminhão. A ABBM Logística S.A., responsável pelas operações de transporte, contratará 175 motoristas. Vinte deles já foram selecionados e devem ter sua contratação efetivada em setembro. Eles irão passar por treinamento teórico e prático, começando a trabalhar em outubro. As outras 155 vagas deverão ser preenchidas até janeiro de 2017.

    Vagas que ainda serão preenchidas
    Apoio e carregamento na região florestal: 35 vagas
    Transporte: 155 vagas
    Administrativo: 30 vagas
    Operação portuária: 60 vagas
    Serviços de manutenção, borracharia e gerais: 60 vagas
    Transporte marítimo de madeira e celulose: 65 vagas
    Total de vagas: 405




    Comentários