CONSUN DA UFPEL HOMOLOGA ELEIÇÃO PARA REITORIA

    confupel

    O Conselho Universitário (CONSUN) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) referendou, na manhã de quarta-feira (14), a voz da comunidade acadêmica e escolheu os nomes dos professores Pedro Rodrigues Curi Hallal para reitor e Luís Isaías Centeno do Amaral para vice-reitor no período 2017-2020.

    Em escrutínio único, uninominal e secreto, os conselheiros votaram nos nomes inscritos para a composição das listas tríplices. Para o cargo de reitor, Hallal recebeu 51 votos e os demais inscritos, os professores César Valmor Rombaldi e Lúcia Maria Vaz Peres, receberam, respectivamente, dois e um votos.

    Na eleição para vice-reitor, Amaral obteve 51 votos, Lúcia e Rombaldi dois cada – com a presença de mais um votante.

    Conforme previsto no edital de eleição para a escolha dos dirigentes máximos da Universidade, os inscritos puderam falar sobre seu currículo e a proposta de gestão.

    Hallal fez uma retrospectiva de sua trajetória profissional, começando como aluno da Escola Superior de Educação Física da UFPel aos 16 anos, passando por atuações como Diretório Acadêmico, a oportunidade de ingresso no mestrado e no doutorado em Epidemiologia e os caminhos que o levaram à docência, em 2005. “Ter a chance de ser o reitor mais jovem da história da UFPel é algo que encaro com a devida responsabilidade. Farei uma pausa nas atividades acadêmicas para dedicar-me às administrativas”, pontuou, lembrando que o conceito de diferença concebido em seu plano de gestão barra a exclusão, calçando-se em sete princípios e 28 propostas.

    O futuro reitor ressaltou que o programa de gestão será debatido com a comunidade, não apenas com as pessoas que apoiaram sua candidatura. “Hoje, não há aqui na frente do prédio manifestantes defendendo a democracia na UFPel, porque ela está em consolidação”, observou, assegurando o trabalho em prol da universidade pública, gratuita e de qualidade.

    Tanto Hallal quanto o atual reitor Mauro Del Pino destacaram que o processo de transição será feito de forma respeitosa e guiado pelos interesses da Instituição. “Todos os elementos necessários à sequência estarão presentes. Isso é extremamente relevante para a Universidade”, ressaltou Del Pino. O reitor destacou ainda o posicionamento histórico e a democracia como condutora das ações da Universidade. “Parabenizo o Conselho por compreender esse momento histórico e traduzir o esforço que representa a luta de várias gerações para que isso se consolidasse e pela forma inédita como assumiu isso para si”, disse.

    Seguindo os trâmites legais, o resultado da votação será agora encaminhado ao Ministério da Educação (MEC) para nomeação, que deverá ocorrer até o fim do ano.




    Comentários