O SABOR QUE UNE EMPREENDEDORISMO E HISTÓRIA

    CHOCOLATE

    Suelen Franco, empresária do Amazonas que fixou residência em Pelotas, especializou-se na produção de chocolates finos e prepara o lançamento da Coleção Farroupilha, que homenageia seis personalidades.

    Pelotas – A empresária Suelen Franco entrou no caminho do empreendedorismo quando se mudou do Amazonas para o Rio Grande do Sul. E foi nas raízes do povo sulista que ela encontrou os ingredientes para um negócio que une sabor e história. Especializada na produção de chocolates finos, Suelen lançará, no dia 14 de setembro, no Museu do Doce de Pelotas (Praça Coronel Pedro Osório, Casarão 8, Centro), a partir das 19h, a coleção de bombons Farroupilha, inspirada em seis personagens marcantes desse episódio da história gaúcha.

    O primeiro contato de Suelen com o Estado ocorreu na cidade de Piratini, há três anos, onde morou com o marido. Na época, começou a produzir brigadeiros para vender, e foi nessa ocasião que teve o primeiro contato com o SEBRAE/RS. A técnica da Regional Sul da entidade Jussara Cruz Argoud conta que Suelen passou a fazer uma série de consultorias que a ajudariam a formatar o futuro empreendimento. “Ela fez plano de negócios, consultoria em marketing, até que veio a ideia de produzir chocolates. Suelen é um exemplo de empreendedorismo”, relembra.

    Pouco tempo depois ocorreu a mudança para Pelotas, onde se estabeleceu. “Percebi que brigadeiro poderia não dar muito certo, pois havia muita gente produzindo. Pensei no chocolate, e passei a estudar sobre o assunto”, conta Suelen. A produção começou tímida e logo cresceu, com pedidos para datas comemorativas e eventos, segmento que fortaleceu o negócio, até então chamado Piratini Chocolates Finos. Mas ela queria fazer ainda mais. “Participei de capacitações na Universidade Federal de Santa Maria, para fazer a minha própria geleia dos recheios, e fiz a escola de chocolataria gourmet. Com isso, passei a produzir meu próprio chocolate”, conta.

    Cultura e tradição

    Durante a consultoria de alimentos do Sebraetec surgiu a ideia de lançar um produto que tivesse ligação com a história do Rio Grande do Sul. “Estava começando a trabalhar com frutas típicas da região, então foi um passo para construir uma ligação com a Revolução Farroupilha”, ressalta. Foi feito um extenso trabalho de pesquisa para eleger os nomes e fazer um levantamento da personalidade de cada um, elementos que serviriam como base para definir o tipo de chocolate e o sabor do recheio.

     

    Com o atendimento para eventos ainda em crescimento, a ideia da coleção continuou em “banho maria”, porém em constante aprimoramento. Já conhecida na cidade por seu próprio nome, a empresa passou a se chamar Suelen Franco Chocolates Finos. O ano de 2016 se mostrou o momento certo para colocar a coleção na rua. “Acabo de abrir o meu próprio atelier, com pronta entrega e espaço de produção. Vimos que era a hora ideal”, comemora.

    A coleção Farroupilha apresenta o bombom Giuseppe Garibaldi, feito com chocolate de sabor forte e recheio de vinho cabernet, fazendo alusão às origens italianas do combatente. Bento Gonçalves ganhou uma versão com chocolate de sabor mais amargo e recheio de erva-mate. Manuela, a sobrinha do General, está representada pelo chocolate branco recheado com geleia de pêssego, homenageando também a cidade de Pelotas, onde viveu e faleceu. Anita Garibaldi, personalidade forte, ganhou versão que mistura abacaxi e pimenta. O militar David Canabarro será representado com recheio de butiá e, por fim, Souza Neto, que ainda está em processo de definição.

    “Tenho outros personagens definidos, mas resolvemos utilizar esses seis inicialmente para que pudéssemos logo concretizar o projeto”, disse Suelen. Hoje, o negócio produz, em média, 3 mil unidades de chocolate/mês para eventos da região, e a coleção será comercializada em diferentes pontos de venda, incluindo Porto Alegre. “Ela simboliza o início de um sonho, o qual trabalhei muito para realizar. Quero fazer muita coisa ainda. Digamos que estou engatinhando, pretendo ficar em pé. Nos negócios a gente sempre terá algo para aprender”, finaliza a empresária. 




    Comentários