PROFESSOR DA UFPEL É O NOVO PRESIDENTE DA FAPERGS

    odir-dellagostin

    Pela primeira vez, o cargo é ocupado por pesquisador do interior

    O professor e pesquisador da UFPel Odir Dellagostin, da área de Biotecnologia, é o novo diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs). É a primeira vez que o cargo é ocupado por um pesquisador vinculado a uma instituição do interior do Estado. A nomeação foi publicada no Diário Oficial do Estado da quarta-feira (14).

    Entre suas prioridades e primeiras medidas, o pesquisador destaca o fortalecimento da Fapergs, a visibilidade das ações da Fundação perante a comunidade em geral, o trabalho para que a comunidade perceba a importância do investimento em pesquisa científica e a desburocratização do órgão.

    “A situação financeira do Estado não está boa, e isso é de conhecimento de todos. Portanto, ninguém espera muita coisa da Fapergs. Penso que em situações como essa é possível fazer a diferença. Não tenho ainda a receita para resolver todos os problemas, mas tenho muita vontade de trabalhar para buscar as soluções. Creio que as experiências que tive como membro de comitê assessor do CNPq, e estou tendo como membro do Conselho Técnico Científico da Capes, ajudarão neste trabalho”, reflete o novo presidente.

    Proposta

    No documento enviado à Fapergs quando de sua candidatura, Odir escreveu a seguinte proposta:

    “Minha proposta é trabalhar de forma integrada com os demais diretores, observando as deliberações do Conselho Superior da Fapergs, a autonomia da Fapergs e as políticas públicas do Governo do Estado no que tange à Ciência, Tecnologia e Inovação. Para desenvolver este trabalho, será de fundamental importância a interlocução com as instituições de pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico. Para isso, proponho estabelecer um diálogo permanente com seus representantes, especialmente com o fórum de pró-reitores de pesquisa e pós-graduação. Além disso, proponho-me a trabalhar para fortalecer a imagem da Fapergs perante a comunidade científica, buscando formas de minimizar uma das grandes críticas que a Fapergs sofre, que é o grau de burocratização nos seus procedimentos.

    Na política de fomento à pesquisa, proponho-me a trabalhar para que continue havendo total transparência nos critérios de alocação de recursos públicos, sempre valorizando a meritocracia. Tenho vasta experiência na participação de comitês de avaliação, pois já fui membro e depois coordenador do Comitê de Ciências Biológicas da Fapergs, membro do Comitê Assessor de Veterinária do CNPq e Coordenador da Área de Biotecnologia da Capes. Além disso, sou frequentemente convidado para participar de comitês da Faperj, da Finep, e como assessor ad hoc da Fapesb, Facepe e Fapesp. A seriedade, ética, idoneidade e competência técnica dos comitês devem estar acima de qualquer suspeita para garantir a respeitabilidade do trabalho desenvolvido pela Fapergs.”

    Indicação múltipla

    A escolha do professor Odir foi resultado de indicações de diversas instituições de pesquisa do Estado, como a UFSM, a Unisinos, a UFCSPA, a Furg, a Uergs, a UFRGS, a Fepagro e o Cientec, além da UFPel e de outras.

    “Houve uma grande mobilização no Estado, liderada pelo Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação (Foprop) e com forte atuação da UFPel, para a nomeação. As instituições encaminharam suas indicações para a Fapergs no início de julho e garantiram que o Conselho Superior da Fundação definisse o nome do professor Odir, já no fim daquele mês, como o primeiro da lista tríplice enviada ao Governador”, relata o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UFPel, Luciano Agostini.

    Para o reitor da UFPel, Mauro Del Pino, o professor Odir contribuirá muito para o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado.

    Currículo

    O professor Odir Dellagostin é professor titular na Universidade Federal de Pelotas, tendo ingressado na carreira docente em 1997. A sua área de atuação é Biotecnologia e Biologia Molecular. Sua produção científica é expressiva, tendo publicado até o momento 170 artigos científicos, 55 dos quais no último triênio. Também possui 21 pedidos de patentes depositados. Atualmente ele é pesquisador 1A do CNPq em função das suas relevantes contribuições para sua área de atuação.

    Possui ampla experiência administrativa. Na UFPel, foi coordenador do Centro de Biotecnologia, do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação e é o atual diretor do Centro de Desenvolvimento Tecnológico da UFPel. Como pró-reitor, teve atuação destacada junto ao Fórum de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação (Foprop) e, na UFPel, nos conselhos superiores da instituição: o Conselho Coordenador do Ensino, Pesquisa e Extensão (Cocepe) e o Conselho Universitário (Consun). Sua atuação do PPG em Biotecnologia foi fundamental para que este PPG atingisse seu conceito atual na Capes, que é o maior do Brasil na área de Biotecnologia (conceito 6).

    O professor Odir também tem destacada atuação junto aos órgãos de fomento, onde foi membro titular do CA de Medicina Veterinária do CNPq, foi Coordenador Adjunto e é o atual Coordenador da área de Biotecnologia da Capes e é membro titular do CTC da Capes.

    Na Fapergs, atuou como membro e foi Coordenador do CA de Ciências Biológicas. Desde 2014 ele ocupa uma vaga no Conselho Superior da Fundação, representando a comunidade científica do Estado.




    Comentários