LACTALIS ANUNCIA INVESTIMENTO DE R$ 104 MI NO RS

    A opção pelo investimento no Rio Grande do Sul se dá em razão do seu potencial de crescimento - Foto: Luiz Chaves.

    A opção pelo investimento no Rio Grande do Sul se dá em razão do seu potencial de crescimento – Foto: Luiz Chaves.

    A empresa Lactalis, multinacional francesa que opera em 50 países, anunciou, na última quinta-feira, em encontro do presidente mundial da marca, Daniel Jaouen, e executivos, com o governador José Ivo Sartori, em Paris, investimentos da ordem de R$ 104 milhões no Rio Grande do Sul. O valor será aplicado no prazo de um ano. A atividade integra a agenda da missão governamental à Europa, que se encerra nesta sexta-feira (21), na Itália.

    Os recursos destinam-se à expansão das plantas em Teutônia, Santa Rosa, Três de Maio e Ijuí, onde serão ampliadas a fabricação de itens como manteiga, requeijão, leite condensado, além da confecção de garrafas para o envase de leite. Sartori destacou que as negociações se iniciaram ainda em 2015 e são resultado concreto da missão. “Vai somar valor numa epoca de muitas dificuldades. Para os produtores é importante porque terão renda garantida mensalmente. Também é reunião de produtos, tecnologia e inovação. O setor tem muito a ganhar”, afirmou o governador, ao enfatizar que o Rio Grande do Sul tem uma política forte para a atração de investimentos e está aberto ao diálogo com empreendedores.

    De acordo com o diretor de Relações Institucionais da Lactalis, Guilherme Portela, também vice-presidente do Sindilat, a opção pelo investimento no Rio Grande do Sul se dá em razão do potencial de crescimento. Atualmente, o estado é a segunda maior bacia leiteira do país, com produção anual de aproximadamente 4,3 bilhões de litros de leite.

    Portela acrescentou que  a marca francesa deve incentivar o setor, com foco na qualidade e na produtividade – o que inclui ações como aquisição de matrizes e ações de fomento, além de pagamento por litro de leite acima do valor de mercado. A meta do conglomerado francês é ampliar a captação em 500 milhões de litros/ ano. Além disso, a multinacional vai instalar sua sede jurídica em Porto Alegre.

    Sobre a Lactalis

    A empresa é considerada a maior captadora de leite do Rio Grande do Sul, cerca de 22% do total produzido – atualmente são cerca de 900 milhões de litros/ano. Cerca de 90% do leite é adquirido diretamente do produtor, e a remuneração do transportador se dá pela rota, e não pelo volume transportado, tendo maior controle sobre a matéria-prima.

    Para o secretário da Agricultura, Ernani Polo, as novas unidades vão contribuir para impulsionar o setor leiteiro, pois a necessidade de matéria-prima será ainda maior. “É fruto de um trabalho articulado. Vai gerar emprego, renda e desenvolvimento”, resumiu.

    A Lactalis chegou ao Brasil em 2013, quando arrematou 11 laticínios da BRF e quatro unidades da LBR, com aplicação de um montante que chegou a R$ 2,05 bilhões. No Rio Grande do Sul, tem cinco unidades industriais e um centro de distribuição, em Fazenda Vilanova.

    Estiveram presentes ao encontro os secretários Carlos Búrigo (Geral de Governo) e Fábio Branco (Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia), a presidente do Badesul, Susana Kakuta, o presidente da Fiergs, Heitor Müller, dirigentes da entidade e o deputado estadual Frederico Antunes.




    Comentários