NOITE DE HOMENAGEM A SIMÕES LOPES NETO

    O diretor da CMPC, um dos patrocinadores da mostra, Francisco Bueno, fala ao público convidado.

    O diretor da CMPC, um dos patrocinadores da mostra, Francisco Bueno, fala ao público convidado.

    O grande hall e as galerias térreas do Santander Cultural, em Porto Alegre, ficaram lotadas na noite de abertura (18/10) para convidados da mostra de artes visuais sobre a vida e a obra do escritor João Simões Lopes Neto. A exposição Simões Lopes Neto – Onde não chega o olhar prossegue o pensamento, promovida pela Celulose Riograndense por meio da Lei Rouanet de incentivo àCultura,  e pelo Santander Cultural, é uma homenagem ao escritor por ocasião do biênio simoniano: em 2015, foram comemorados os 150 anos de seu nascimento e, em 2016, é lembrado o centenário de sua morte.

    Com curadoria de Ceres Storchi, o projeto traz uma ampla visão da trajetória do escritor com registros de seu legado cívico, jornalístico, dramatúrgico, literário e pedagógico. A exposição compreende, ainda, a família, o universo mítico das Lendas do Sul por onde a obra de Simões transita, e o regionalismo dos Contos Gauchescos. Vale destacar que, de maneira inovadora, o autor dá voz ao gaúcho, além de valorizar a história e a tradição do homem do campo e a própria formação do território do Rio Grande do Sul. Ao mesmo tempo em que ultrapassa tradições gaúchas com personagens densos, completos em suas peculiaridades, facilmente identificáveis em pessoas do cotidiano atual de diferentes regiões, o autor mundialmente reconhecido é fiel a uma cultura enraizada no povo do Rio Grande do Sul.

    Durante a cerimônia de abertura da mostra, o Diretor de Relações Institucionais da Celulose Riograndense, Francisco Bueno, manifestou a admiração da empresa pela riqueza humana e cultural gaúchas. “A Celulose Riograndense se identifica e quer fortalecer suas relações com esta terra e suas pessoas. O incentivo à cultura é a melhor forma que encontramos para demonstrar nosso apreço e valorizar o Rio Grande e suas tradições. Queremos, cada vez mais, reforçar os vínculos com este povo tão rico e capaz de produzir mais riquezas”.

    Entre as autoridades que prestigiaram a abertura da mostra estavam o vice-presidente do Santander Cultural, Marcos Madureira, o prefeito de Pelotas, Eduardo Leite, o secretário municipal de Cultura de Porto Alegre, Roque Jacoby, o ex-governador do Estado, Olívio Dutra, e o presidente do Instituto Simões Lopes Neto, Antonio Carlos Mazza Leite.

    Simões Lopes Neto – onde não chega o olhar prossegue o pensamento é uma realização do Santander Cultural, Instituto Simões Lopes Neto e SECS RS, com patrocínio da CMPC | Celulose Riograndense – por meio da Lei Rouanet de incentivo à cultura – e do Santander, e parceria institucional do Governo do Estado do Rio Grande do Sul  e das prefeituras de Porto Alegre e de Pelotas, dentro das comemorações do Biênio Simoneano e Ano Simões Lopes Neto. A mostra permanecerá no Santander Cultural (R. Sete de Setembro, 1028 – Centro Histórico de Porto Alegre) até o dia 18 de dezembro de 2016, com entrada franca. Horário de funcionamento: de terças a sábados, das 10h às 19h, e aos domingos, das 13h às 19h. Não abre aos feriados.




    Comentários