CONSTRUÇÃO DA NOVA PONTE DO GUAÍBA COMEÇA A SER RETOMADA

    ponte

    Construtora Quiroz Galvão espera contratar mais 100 funcionários até final de novembro

    Os trabalhos da nova ponte do Guaíba começam a ser retomados pela construtora Queiroz Galvão. A superintendência regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou nesta segunda-feira que a obra está sendo executada por cerca de 150 funcionários. A contratação de mais funcionários está em andamento. O Dnit no Rio Grande do Sul ressalta que até o final de novembro sejam contratados mais de 100 funcionários pela empresa.

    Na manhã, os funcionários trabalhavam próximo das vigas da estrutura localizada na rua Voluntários da Pátria e também na rua João Moreira Maciel na zona Norte de Porto Alegre. Segundo o departamento, aproximadamente 38% da obra está concluída.

    No início de outubro deste ano, foi realizado o primeiro repasse de R$ 22 milhões pelo governo Federal para a continuidade dos trabalhos que haviam sido interrompidos do em maio. Foram realizados até o momento em complementação a verba anual dois empenhos: um de R$ 22 milhões e o segundo de R$ 20 milhões. A previsão é que sejam repassados até o final de 2016 mais R$ 42 milhões para a realização da nova travessia.

    A previsão do Dnit/RS é que os trabalhos estejam concluídos no final de 2018. O custo da ponte é de R$ 650 milhões. A nova ponte do Guaíba terá uma extensão de 12,3 quilômetros com um total de cinco quilômetros em acessos e 7,3 quilômetros em obras de artes especiais (ponte sobre os canais navegáveis, elevadas e viadutos). A segunda ponte do Guaíba terá cerca de 28 metros de largura, em pista dupla com duas faixas de tráfego em cada sentido.

    Em outubro, durante um fórum de infraestrutura realizado na Federasul, o superintendente do Dnit no Estado, Hiratan Pinheiro da Silva, informou que o cronograma de conclusão dos trabalhos na nova estrutura poderão ser revistos e que estão previstos mais R$ 255 milhões em 2017 para a realização da obra. No entanto, os recursos para o próximo ano dependem de confirmação na votação prevista para ocorrer ainda este ano da Comissão Mista do Orçamento da Câmara dos Deputados.




    Comentários