TESTES OPERACIONAIS FECHAM PRIMEIRO MÊS COM SUCESSO NO PORTO DE PELOTAS

    primeiro-mes-testes-credito-nauro-junior00006

    Os testes para validação, capacitação e treinamento da operação no Terminal de Toras fecharam o primeiro mês com a movimentação de madeira desde as florestas de 14 municípios da região até o Porto de Pelotas. “Avaliamos o desempenho de todas as etapas, com resultados positivos e plena segurança operacional”, avalia o diretor presidente da Sagres Agenciamentos Marítimos, Marcos Fonseca. Grande parte, já foi enviada em oito barcaças da Navegação Aliança, através da hidrovia, para fábrica da Celulose Riograndense, em Guaíba.

    Os testes de desempenho também foram satisfatórios. De acordo com o Gerente de Operações da Sagres, Eduardo Tartari, o tempo de descarga dos caminhões de madeira no pátio do terminal obteve uma média de 15 minutos por caminhão. Após a madeira ser descarregada, os caminhões da Sagres realizam o transbordo da madeira em estoque para o cais, onde fica atracada a barcaça. Este processo, segundo os dados da operação, alcançou uma média de 20 minutos por caminhão. “São bons resultados, onde as equipes operacionais estão a cada dia mais afinadas no quesito de segurança e produtividade, uma vez que vão adquirindo experiência com o trabalho que desempenham”, destaca Eduardo.

    Considerando que o mês de outubro apresentou um grande volume de intempéries climáticas, a média de operação por barcaça alcançou um tempo de aproximadamente 20 horas de operação/barcaça. “Nossa prioridade é sempre a segurança da operação, portanto nestes casos se diminui a velocidade da operação”, resume Eduardo.

    PRÁTICA – Durante o mês de novembro os testes operacionais prosseguem no Terminal de Toras, qualificando gradativamente cada fase do processo. Para as equipes envolvidas é um momento de aprimoramento, onde a prática faz com que cada etapa seja cumprida com precisão.

    Para Daniel Menezes Santana a experiência tem sido desafiadora e satisfatória, já que até então só tinha tido experiências com escavadeiras. Contratado no mês de setembro, Daniel recebeu treinamento específico para operar o equipamento sueco, de última geração, com capacidade para 22,4 toneladas e alcance de 23 metros, usado para o transbordo operacional de cargas dos caminhões para a barcaça. “Após a qualificação passamos a prática e posso garantir que a cada dia sinto que o aproveitamento é melhor”, avalia Daniel. Para garantir a excelência das operações existem planos de manutenção preventiva que são rigorosamente monitorados e executados, garantindo o bom funcionamento e disponibilidade do equipamento.




    Comentários