LIDERANÇAS EMPRESARIAIS PARTICIPAM DA SOLENIDADE DE FORMATURA DA ESCOLA SESI

    Os primeiros 22 alunos da Escola Sesi de Ensino Médio de Pelotas receberam no dia 14 de dezembro, os certificados de conclusão do Ensino Médio. A solenidade ocorreu no Centro de Atividades do Sesi , em Pelotas, com a presença do presidente do Centro das Indústrias de Pelotas, Amadeu Fernandes; do presidente do Conselho Consultivo do Sesi, Ubirajara Terra e do vice-presidente da Fiergs Torquato Pontes Neto. O estímulo à inovação, criatividade, responsabilidade social, sustentabilidade e motivação são parte do dia a dia de estudantes e professores do Serviço Social da Indústria (Sesi-RS). Inspirada nas melhores práticas nacionais e internacionais de educação, a metodologia tem o objetivo de preparar jovens para o mundo do trabalho com excelência acadêmica. A escola busca o desenvolvimento integral do estudante com a construção de competências e habilidades via resoluções de problemas pautados no mundo do trabalho e com uma avaliação desafiadora e motivadora do aluno. “Esta é a primeira turma que se forma, com resultados significativos para a escola que pretende ser referência”, destaca o diretor superintendente do Sesi-RS, Juliano Colombo.
     
    Em Pelotas, onde começou a funcionar em 2014, o projeto já foi reconhecido pelo MEC como uma das 177 instituições de todo o País exemplo de inovação e criatividade na educação básica. A escola disponibiliza um tablet e um notebook por estudante, além de recursos audiovisuais e didáticos. Os estudantes de Pelotas já têm no currículo premiações em mostras externas e torneios de robóticas. Somente este ano, 12 projetos foram aprovados na Mostra Jovem Cientista da Ufrgs, além de um prêmio nacional na Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas da UFMG, em Belo Horizonte.
     
    Os estudantes têm à disposição salas ambiente para as áreas de linguagens, matemática e ciências humanas, laboratórios para as atividades de ciências da natureza e infraestrutura específica para as aulas de teatro e música. A escola busca o desenvolvimento integral do estudante, que é instigado a resoluções de problemas pautados pelo mundo do trabalho. O acompanhamento ocorre com uma avaliação que prevê continuamente retomada dos estudos, consolidação ou novos desafios, conforme o estágio de aprendizagem de cada aluno. A organização da sala prevê a composição de grupos com perspectiva colaborativa.
     
    Com turno estendido (são aproximadamente 5 mil horas de estudo), os alunos têm uma matriz curricular dividida da seguinte forma: 30% Código e Linguagens (português, literatura, línguas estrangeiras, artes, educação física), 50% Matemática e Ciências Naturais (química, física e biologia) e 20% Ciências Humanas (história, geografia, sociologia e filosofia). O aluno constrói o conhecimento e estratégias variadas.  “A proposta é atender à proficiência em matemática e português, básica para qualquer profissão, e a área de ciências naturais, demandas observadas na sociedade em geral e principalmente na indústria”, explica Colombo.
     
    A trajetória do estudante é acompanhada por um professor, chamado de articulador, que orientará o aluno em seu projeto de vida, oferecendo oportunidades de aprendizagem e aprofundamento de conhecimentos independentemente do aproveitamento que o mesmo demonstre. A intenção é que todos cresçam, a partir de estudos de reconstrução, atividades de apoio ou desafios, conforme o ritmo de cada um.
     
    A partir do segundo ano, inicia a parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-RS) em cursos de qualificação profissional em eletricidade e automação. Outros desafios também serão propostos como os projetos de Educação Financeira, Robótica e Passaporte para o Empreendedorismo. “A intenção da escola é que, ao final do Ensino Médio, o aluno tenha desenvolvido competências de leitura, escrita e resolução de problemas, dominando não só saberes necessários para a excelência acadêmica, mas também para a sua plena inserção no mundo do trabalho”, destaca Colombo.
     
    O Sesi-RS conta ainda com uma escola de Ensino Médio em Sapucaia do Sul e, a partir do próximo ano, em Gravataí e Montenegro.



    Comentários