PROGRAMA ALI ABRE SELEÇÃO PARA PROFISSIONAIS QUE VÃO ATUAR JUNTO A PEQUENOS NEGÓCIOS

    Iniciativa do SEBRAE/RS e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) tem inscrições gratuitas, que podem ser feitas até o dia 9 de janeiro de 2017

    Porto Alegre – Estão abertas as inscrições para o ciclo 2017-2019 do Programa ALI – Agentes Locais de Inovação. Profissionais graduados há no máximo três anos serão selecionados para atuar junto às pequenas empresas gaúchas por um período de dois anos e meio. Os interessados podem se candidatar pelo site da EGaion Consultoria (www.egaion.com.br), clicando no link seleções e no processo SEBRAE-Programa ALI/RS – 01/16 até o dia 9 de janeiro de 2017. Entre as formações requeridas estão bacharelados e tecnólogos nas áreas de Administração, Alimentos, Engenharias, Comunicação Social (Publicidade e Propaganda e Relações Públicas), Design e Turismo. A lista completa está disponível no edital.

    O ALI é uma iniciativa do SEBRAE/RS em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) que tem como objetivo promover a prática continuada de ações de inovação nas Empresas de Pequeno Porte. Para prospectar e acompanhar os empreendimentos serão selecionados e capacitados 60 bolsistas do CNPq, distribuídos da seguinte forma: Região Metropolitana (19); Sinos, Caí e Paranhana (13); Serra Gaúcha (12); Vales do Taquari e do Rio Pardo (8); Planalto (3); e Sul (5).

    A gestora do projeto pelo SEBRAE/RS, Michele Ballejos Seleri, explica que “os bolsistas que atuarão como agentes sob orientação de consultores especialistas de mercado irão diagnosticar e propor soluções de inovação em produtos, processos, marketing e gestão organizacional”. Após a seleção, que ocorrerá entre janeiro e fevereiro, os candidatos aprovados participarão de uma capacitação durante o mês de março. A bolsa terá valor de R$ 2 mil no primeiro mês de atividades e R$ 4 mil ao mês durante os 30 meses de duração da atuação em campo.

    Experiência em dose dupla

    A ex-agente Andreia Liberalesso, que integrou o grupo na edição 2014-2016, conta que se interessou pela atividade quando gerenciava um restaurante. “Na ocasião que assumi a vaga a empresa era acompanhada por um ALI, e passei a ser o contato dele. Foi muito bom porque me ajudou a ver coisas que eu ainda não tinha total conhecimento”, explica. Andreia tinha a missão de aumentar os lucros após um período de cinco anos operando com dificuldades. Com apoio do agente, nos primeiros meses os resultados ultrapassaram as expectativas. “Foi aí que pensei em realizar a inscrição na seleção seguinte. Passei e me tornei uma agente”, conta.

    O processo de capacitação, segundo ela, por si só foi fundamental para a atuação e para sua evolução profissional. Aspectos de gestão e questões como aprender a separar a emoção da razão são tópicos sempre lembrados. Por conta de sua formação em nutrição, a maior parte das 50 empresas que atuou eram do ramo de alimentação, mas acabou tendo oportunidades em outros segmentos. Um dos empreendimentos que acompanhou foi a Insemine, empresa especializada em reprodução assistida. “Eles haviam iniciado o processo com outro agente, então cheguei com atividades em andamento, mas eles estavam bem estruturados e sempre colocaram em prática todas as propostas”, ressalta. A Insemine foi reconhecida como melhor empresa na categoria saúde do Prêmio MPE Brasil, etapa estadual, divulgado no início de dezembro.

    Após o encerramento do ALI, Andreia resolveu continuar o trabalho de acompanhamento e orientação. Fundou a Inova Nutri, direcionada para consultoria de empreendimentos da área de alimentação. “Algumas empresas que atendi vieram trabalhar comigo. Fico muito feliz com o resultado e espero que todas continuem sempre apostando na evolução dos seus negócios”, finaliza.




    Comentários