SALA DO EMPREENDEDOR-RG TEM FACILITADO INVESTIMENTOS DOS RIO-GRANDINOS

    Em atividade desde novembro e visando servir como um órgão facilitador para a abertura de empresas locais, criação é uma parceria da Prefeitura, via SMDier com o Sebrae/RS

    JORNAL AGORA – POR LUIZA TRÁPAGA

    Em atividade desde novembro do último ano, a Sala do Empreendedor tem sido um agente muito importante para os rio-grandinos que desejam apostar em novos negócios. A criação é uma parceria da Secretaria de Município de Desenvolvimento, Inovação, Emprego e Renda (SMDier) com o Sebrae/RS, e tem servido como um órgão facilitador para a abertura de empresas no Município.

    O diferencial do projeto é a reunião de diversos serviços no mesmo local. Além da SMDier, o espaço também conta com a Secretaria da Fazenda; de Coordenação e Planejamento; de Meio Ambiente; e de Saúde, com a Vigilância Sanitária, além da Junta Comercial do Rio Grande do Sul (Jucergs). É um espaço que possibilita a reunião de todos esses importantes serviços aos empresários, facilitando imensamente o processo do empreendimento.

    PRIMEIRA NO ESTADO

    De acordo com o secretário de Município de Desenvolvimento, Inovação, Emprego e Renda, Marcos Mazoni, a implantação foi discutida durante muito tempo antes de ser concretizada. “É um projeto pioneiro no Estado. Além de Rio Grande, os únicos locais que disponibilizam esse serviço aos empresários são o Distrito Federal e a cidade de São Paulo”, explica. O espaço – localizado na rua Marechal Floriano, 170 – fica no mesmo ambiente da SMDier. A criação da Sala do Empreendedor foi possível em Rio Grande devido ao trabalho da Rede Nacional para Simplificação do Registro e Legalização de Empresas e Negócios (Redesim). O sistema, que tem sido implementado em diversos municípios gaúchos nos últimos anos, é fruto de uma parceria entre o Sebrae/RS, Junta Comercial do RS (Jucergs) e prefeituras. O objetivo é simplificar e desburocratizar o registro e a legalização de empresas.

    COMUNICAÇÃO

    “Além de uma maior rapidez e praticidade no processo, esse projeto também tem como objetivo uma comunicação direta do empreendedor com os órgãos da prefeitura, especialmente a SMDier”, conta o secretário. Ele ainda explica que esse contato tem se mostrado muito positivo, principalmente na satisfação dos empresários. Grande parte dessa satisfação ocorre devido ao apoio da equipe técnica da própria secretaria. “Aqui, o empreendedor pode, além de realizar o processo de abertura, também sanar todas as suas dúvidas diretamente. Ele sai daqui sabendo onde pode abrir a empresa, qual é a melhor localização para alugar, entre outros detalhes – uma noção real do mercado e das suas possibilidades”, relata Mazoni.

    MENOS BUROCRACIA, MAIS AGILIDADE

    “Agora, eles sabem que têm esse local sempre disponível”, afirma. A desburocratização da abertura das empresas também tem colaborado para a satisfação dos rio-grandinos. “Com a sala, o trabalho que demorava semanas, pode ser feito em um único dia”, conta. Segundo ele, o tempo do processo é relativo à complexidade da empresa. “Empresas maiores, que necessitam de autorizações ambientais, podem demorar mais tempo. Entretanto, as mais simples podem ser abertas até no mesmo dia”, conta. Segundo o secretário adjunto Fabrício Araújo, essa desburocratização é uma necessidade. “Na atualidade, com a agilidade do mercado, as empresas precisam de uma ferramenta como essa. A sala facilita todo o processo. Estamos conseguindo atender cerca de 8 empreendedores por dia, com picos de 15 em certas ocasiões”, afirma.

    O FUTURO

    Além da abertura de empresas, os secretários explicam que o local também é utilizado para a formação de empreendedores. “Possuímos um espaço adequado para a realização dessa formação. Além dos eventos que já realizamos aqui, estamos com um projeto de implantar oficialmente um Centro de Formação do Trabalhador”, conta o secretário Mazoni. Dentro do assunto, ele também comenta sobre os planos para o futuro do local: “Planejamos aumentar, ainda mais, a integração e a tecnologia”, afirma, se espelhando no trabalho que é realizado nas outras salas do País. E complementa: “A ideia é de conseguir chegar ao ponto em que a abertura possa ser realizada até pela internet – o autoatendimento”. O secretário ainda comenta que falta apenas um órgão para que a congregação de serviços esteja completa: o Corpo de Bombeiros. Entretanto, apesar de ainda não apresentar previsões, afirma que a SMDier deseja implementar também esse serviço na Sala do Empreendedor. Finalizando, ele ressalta que, durante o horário de verão, o local está aberto para o público diariamente das 9h30 às 14h30.




    Comentários