ATERRO SANITÁRIO COM ATENÇÃO AMBIENTAL RIGOROSA ATENDERÁ A LEGISLAÇÃO REFERENTE AOS RESÍDUOS EM PELOTAS

    A Companhia Riograndense de Valorização de Resíduos (CRVR) começa a ter seu projeto de tratamento e destinação de resíduos urbanos encaminhado para ser posto em prática. Em fevereiro deste ano, foi emitida a licença prévia para a Unidade de Pelotas, que não atenderá apenas ao município, explicou o diretor-presidente Alexsandro Ribeiro. Serão 17 cidades beneficiadas, embora Pelotas represente 65% da geração de resíduos da região. O projeto qualificará a cidade de Pelotas no que se refere a atenção a legislação que exige do município o cumprimento da Lei Nacional de Resíduos Sólidos.

    Em Pelota, nesta quinta-feira, acompanhado pelo diretor de Desenvolvimento de Negócios, Leomyr Girondi, o diretor-presidente disse estimar um prazo de cinco meses para a obtenção da licença de instalação do empreendimento, que receberá investimento total de R$ 100 milhões e gerará 30 empregos diretos.

    A CRVR já opera em Giruá, Santa Maria, Minas do Leão e São Leopoldo, tratando seis mil toneladas/dia, com a meta de somar mais 2,4 mil toneladas/dia com as novas unidades de Victor Graeff, Viamão e Pelotas. Uma das preocupações da CRVR é com as comunidades onde está presente, nas quais procura estar inserida, prestando apoio a iniciativas.




    Comentários