EMPRESAS DE TI MAIS PRÓXIMAS DAS CADEIAS PRODUTIVAS

    Projetos serão realizados nas principais regiões do Estado. Interessados em participar têm até o dia 13 de março para realizar inscrição

    Aproximar empresas de Tecnologia da Informação (TI) dos principais setores econômicos e alavancar negócios e crescimento para as diversas regiões do Estado. Esse é o objetivo dos cinco novos projetos digitais, que estão sendo lançados pelo SEBRAE/RS este ano. As iniciativas têm foco nas cadeias de saúde, moda, educação, agroalimentos, metalmecânico e móveis, segmentos que estão na base do desenvolvimento gaúcho. As inscrições estão abertas até o dia 13 de março.

    A coordenadora setorial dos programas de TI e startups do SEBRAE/RS, Débora Chagas, conta que a ideia de conectar os empreendimentos digitais com as cadeias surgiu a partir dos próprios projetos já existentes na entidade. “Fizemos também uma análise das regiões com maior densidade de empresas de TI e das vocações regionais, olhando as cadeias produtivas como oportunidades de negócios”, detalha a coordenadora. Assim, foram priorizados cinco projetos em cinco regiões: na Região Metropolitana, que terá atividades presenciais em Porto Alegre, a prioridade será a área da saúde. No Vale dos Sinos, em São Leopoldo, o foco é a moda, principalmente em função da indústria calçadista. Na região Central, em Santa Maria, serão promovidas atividades direcionadas à educação. Na Serra Gaúcha, em Caxias do Sul, serão abordadas as oportunidades para dois segmentos: metal e móveis. E no Sul, em Pelotas, o setor de agroalimentos estará em destaque.

    Cada projeto terá 15 vagas direcionadas a empresas de TI ou startups que atendam essas cadeias produtivas ou que tenham interesse em desenvolver novos produtos ou serviços com base nessas oportunidades. “Uma empresa de tecnologia de outra região, interessada em fornecer para o setor moveleiro, por exemplo, pode se inscrever para o projeto na Serra, já que o foco é nas possibilidades de conexão com as cadeias produtivas”, explica Débora.

    As atividades serão desenvolvidas ao longo de um ano e meio, com início em abril de 2017 até outubro de 2018. A contrapartida mensal por empresa é de cerca R$ 280,00, variando de acordo com a região. As ações previstas estão direcionadas para facilitar a aproximação das empresas de TI com essas cadeias como, por exemplo, rodadas de negócios, desafios para o desenvolvimento de novas soluções com base em problemas reais de cada segmento, workshops e consultorias de mercado. Os projetos incluem ainda a participação em missões e feiras específicas desses setores.




    Comentários