ESPECIAL DE DOMINGO: FIERGS TEM NOVO PRESIDENTE

    A Federação e o Centro das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS/CIERGS) estão sob nova direção. Gilberto Porcello Petry assumiu, oficialmente, a presidência da entidade para a gestão 2017/2020, sucedendo Heitor José Müller após duas gestões consecutivas. Nesse período, ele também passa a administrar o Serviço Social da Indústria (Sesi-RS), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-RS) e o Instituto Euvaldo Lodi do Rio Grande do Sul (IEL-RS). A troca oficial de comando foi realizada na terça-feira dia 18 de julho, em cerimônia para 2 mil convidados no Teatro do Sesi. Participaram da solenidade o governador do Estado, José Ivo Sartori, e o vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Glauco José Côrte.

    No evento, Petry comprometeu-se a ser um porta-voz dedicado e esforçado do setor. Em seu discurso de posse, ele também destacou que a Federação e o Centro são entidades que não se filiam ou se aliam a qualquer partido político. “Nosso alinhamento é com o setor industrial, com o desenvolvimento do Rio Grande do Sul e do Brasil, e com a ética e a decência nos negócios, especialmente para aqueles que digam respeito à administração pública”, afirmou, salientando que as dificuldades das empresas não são virtuais, mas problemas concretos que precisam ser resolvidos.

    Para Petry, o empresariado enfrenta uma lista de situações e imposições contrárias à produção. Entre elas, a enorme burocracia, a tributação elevada, o crédito seletivo caro, os juros elevados e o diminuto investimento na infraestrutura e logística. “Os empresários devem ser entendidos pela sociedade como pessoas que contribuem para o desenvolvimento econômico e social de uma nação. Não podem ser vistos como exploradores porque procuram auferir lucros em seus negócios. O lucro é a alavanca que faz surgir novos empreendimentos que irão gerar novos empregos e recolher novos impostos.” 

    No âmbito da governança política, Petry defendeu que a turbulência atual no País há de abrir espaço para um novo modelo e que os líderes no poder público devem enfrentar questões importantes como o número de partidos e ideologias, as coligações e o presidencialismo de coalizão, por exemplo. “Nosso modelo político se esgotou. Nesse processo, instalou-se uma confusão ou, no mínimo, sobreposição dos Poderes Constituídos”, comparou. “Da mesma forma, queremos uma nova governança econômica. Por isto, apoiamos as Reformas da Previdência, Trabalhista e Tributária. São modernizações imprescindíveis que integram o elenco de mudanças necessárias”, declarou. “Nos próximos três anos, vamos trabalhar intensamente no rumo das novas governanças política e econômica que ora propomos”, finalizou.

    Heitor José Müller desejou sucesso ao novo presidente e um novo momento para o País. “Se houvesse o encontro do Estado Brasileiro com a Nação Brasileira, o nosso País, sem qualquer dúvida, seria imbatível. Espero que, durante a próxima gestão da FIERGS, o Brasil possa começar uma nova história”, disse.

    Ao representar o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, o vice-presidente Glauco José Côrte salientou que, nesses momentos de dificuldades, todos devem se unir. “A crise nos impede de crescer, mas não podemos nos render, permitir que ela tome conta e paute a nossa agenda”, disse.

    O governador José Ivo Sartori também comentou a necessidade de se agir mais coletivamente. “Não é hora de se pensar em nomes, partidos ou vaidades, mas em recolocar o Rio Grande nos trilhos com responsabilidade na gestão fiscal, maior eficiência e voltado para as áreas essenciais, desburocratização dos serviços públicos e valorizando mais o empreendedorismo e a livre iniciativa”.

    Junto com Gilberto Petry tomaram posse também as novas diretorias da FIERGS e do CIERGS.

    Diretoria FIERGS
    Gestão 2017/2020
    Presidente: Gilberto Porcello Petry; Vice-presidentes: Cezar Luiz Müller, Cláudio Affonso Amoretti Bier, Clovis Tramontina, Gilberto Ribeiro, José Alfredo Laborda Knorr, Ricardo Antunes Sessegolo; Diretores: Adair Angelo Niquetti, Alexandre Bittencourt De Carli, Alexandre Guerra, Amadeu Pedrosa Fernandes, Angelo Garbarski, Argileu de Souza Barboza, Aristides Inácio Vogt, Carlos Eckhard, Carlos Pretto Martini, Darcio Klaus, Edilson Luiz Deitos, Elio Jorge Coradini Filho, Ervino Ivo Renner, Gilberto Brocco, Gilberto Pedrucci, Hernane Kaminski Cauduro, Iro Schünke, Ivânio Angelo Arioli, Jaime Bellicanta, João Carlos Oleksinski de Andrades, Jose Augusto Peter Vaniel, Juarez José Piva, Julio Carlos Cardoso Kirchhof, Julio Cezar Steffen, Marlos Davi Schmidt, Nerison Antônio Paveglio, Newton Mario Battastini, Norberto Luiz Pasqualotto, Renato Borgmann Severo de Miranda, Reomar Angelo Slaviero, Ricardo Coelho Michelon, Ricardo José Wirth, Ricardo Lins Portella Nunes, Roberto Rene Machemer, Sergio de Bortoli Galera, Thômaz Nunnenkamp, Volnei Luiz Sebben, Walter Rudi Christmann; Conselho fiscal: Jaime Lorandi, Joni Matte e Serafim Gabriel Quissini (titulares); Carla Carnevali Gomes, Sérgio Bolzan Panerai e Ubirajara Terra (suplentes); Delegados-representantes junto à CNI: Gilberto Porcello Petry e Heitor José Müller (titulares); André Meyer da Silva e Antônio Roso (suplentes).

    Diretoria CIERGS
    Gestão 2017/2020
    Presidente: Gilberto Porcello Petry; Vice-presidentes: Carlos Alexandre Geyer, José Agnelo Seger, José Antonio Fernandes Martins, Marco Aurélio Vieira Paradeda, Marcos Odorico Oderich, Maristela Cusin Longhi; Vice-presidentes Regionais: Arildo Bennech Oliveira, Bruno Artur Fockink, Carlos Bertuol, Carlos Heinen, Flavio Haas, Iraní Tadeu Cioccari, Jairo Alberto Zandoná, Nelson Eggers, Torquato Ribeiro Pontes Netto, Walter Lidio Nunes; Diretores: Ademar De Gasperi, Aderbal Fernandes Lima, Adriano Tollens Cauduro, Alfeu Strapasson, Arlindo Paludo, Carlos Humberto Amodeo Neto, Celso Theisen, Claudino João José Simon, Cláudio Guenther, Daniel Raul Randon, Daniela Aesse Kraemer, Doris Spohr, Eduardo Renato Kunst, Fernando José Ruschel Justo, Guilherme Scozziero Neto, Irineu Boff, João Ruy Dornelles Freire, Jorge Luiz Buneder, José Carlos Estefenon, José Luis Korman Tenenbaum, Júlio Ricardo Andrighetto Mottin, Luiz Felipe Schiavon, Marcus Coester, Odilo Pedro Marion, Oscar Alberto Raabe, Paulo Roberto Vellinho Ely, Raul Heller, Renato Gasparetto Junior, Ricardo Menna Barreto Felizzola, Vittorio Antonio da Silva Ardizzone, Volker Lübke, Walter Alexandre Rizzo Fichtner, Walter Rauen de Souza; Conselho Fiscal: Carlos Weinschenck de Faria, Geraldo José Alexandrini e Lindonor Peruzzo (titulares); Dirceu Gilmar Pezzin, José Luiz Bozzetto e Tiburcio Aristeu Grings (suplentes).




    Comentários